A acne é uma doença de pele que implica no aparecimento de espinhas e cravos, principalmente, no rosto, pescoço, costas e braços. Ao contrário do que muitos pensam, não é exclusiva dos adolescentes e surge também em adultos e, geralmente, a causa está relacionada a mudanças hormonais, má alimentação e estresse. A dermatologista Nicole Perim, de Minas Gerais, explicou ao Dermaclub os tipos de acne existentes e como tratá-las. Entenda!

O que ocasiona o aparecimento da acne na pele?

A dermatologista afirma que a acne pode ser causada por uma série de fatores, como alterações hormonais, genética, estresse, uso de medicamentos ou suplementos e cosméticos com formulações muito oleosas. “Na nossa pele existem glândulas que produzem um tipo de ‘’gordura’’ que auxilia na barreira de proteção, o sebo. Quando produzido de forma exagerada, obstrui os poros, predispondo à proliferação de bactérias. Na tentativa de contê-las, nossas células de defesa produzem pus, formando, assim, as espinhas”, explicou.

Descubra os tipos de acne existentes e como fazer para tratá-las

Existem 5 tipos de acne e o tratamento para cada uma é classificado de acordo com o grau das lesões causadas na pele. Veja abaixo quais são:

- Acne não-inflamatória ou comedônica: é a mais comum, caracterizada pela presença dos cravos, principalmente, na testa, bochechas e nariz. O tratamento da acne tipo I baseia-se em substâncias de uso tópico, como o ácido salicílico, a tretinoína e seus derivados;

- Acne pápulo-pustulosa: apresenta cravos e espinhas avermelhadas, inflamadas, dolorosas e, muitas vezes, com pus. São recomendados ativos com efeito anti-inflamatório, como o peróxido de benzoila e o ácido salicílico para o tratamento. Antibióticos tópicos também podem ser utilizados, porém, por um período pré-estabelecido. Para casos resistentes, antibióticos e a isotretinoina oral podem ser avaliados;

- Acne nódulo-cística: apresenta nódulos inflamados na pele, muitas vezes chamados de espinhas internas. Nestes casos, além do tratamento tópico, podem ser prescritos antibióticos e isotretinoina oral;

- Acne conglobata: caracterizada pela presença de cistos ou nódulos inflamados próximos uns dos outros. Nestas situações, a formação de cicatrizes é muito comum, por isso o tratamento combinando os ativos tópicos e sistêmicos deve ser iniciado o quanto antes;

- Acne fulminans: um tipo mais raro e grave de acne, onde as lesões são acompanhadas de sintomas como febre, fraqueza e dor muscular. É mais comum nos homens e para o tratamento são indicados medicamentos tópicos, orais e cirurgia.

Antes de começar qualquer tipo de tratamento para acne, o ideal é que você procure o seu dermatologista para uma consulta!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.