A caspa é resultado de uma inflamação no couro cabeludo e pode provocar coceira e vermelhidão. Além disso, o quadro ainda acelera o processo natural de troca celular, ocasionando a descamação. Esses floquinhos brancos, que podem ser vistos tanto no meio dos fios quanto nas roupas, acabam incomodando quem desenvolve o problema. Por isso, é tão importante entender o processo para minimizar os efeitos indesejados. Acompanhe!

Entenda quais são os principais fatores que estimulam a caspa no couro cabeludo e os sintomas

Segundo a dermatologista Aline Vieira, a caspa é desenvolvida em quem tem propensão genética. “O quadro é multifatorial, ou seja, sua origem está envolvida a diversos fatores e nem todos são conhecidos, por isso, não há cura e, sim, controle da caspa”, explicou. A fim de minimizar o problema, é possível combater os fatores conhecidos, como a quantidade de fungos presentes no couro cabeludo, estresse, reação inflamatória e alteração hormonal.

A médica também contou que, além da descamação, sintoma mais conhecido, podem surgir placas vermelhas acompanhadas de coceira. “Esse tipo de reação pode acometer também outras áreas seborreicas, como a face, atrás das orelhas, região peitoral e costas”, disse.

Descubra quais tipos de atividades podem desencadear o quadro e o que é importante evitar

Para a Dra. Aline, em geral, procedimentos químicos podem desencadear ou agravar a descamação no couro cabeludo. “As escovas alisadoras são as mais comuns de resultar em caspa por que causam queimadura e aumentam a oleosidade da região. Por isso, o ideal é evitar escovas e tratamentos de recuperação dos fios que utilizem calor”, esclareceu.

Saiba quais são os tratamentos para a caspa no couro cabeludo

De acordo com a dermatologista, o tratamento vai depender da gravidade do quadro. “Podem ser indicados medicamentos orais, como corticoides, antifúngicos, shampoos à base de corticoides, outros anti-inflamatórios ou ceratolíticos - como o ácido salicílico -; e loções à base das mesmas substâncias. Já na clínica, são comuns os peelings com ação ceratolítica, que diminuem a descamação, e LED, para diminuir a inflamação”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.