Você já ouviu falar em eczema? Caracterizada pela manifestação de lesões vermelhas ásperas ou descamativas - sintomas parecidos com os da dermatite -, essa inflamação na pele é muito comum e pode aparecer em qualquer parte do corpo. Para entender melhor sobre a doença e como tratá-la, o DermaClub conversou com a dermatologista Lilia Guadanhim, de São Paulo. Confira!

Saiba o que ocasiona o eczema e conheça os seus diferentes tipos

O eczema é uma irritação da pele que, em casos extremos, pode levar ao surgimento de vesículas (pequenas bolhas) e até mesmo lesões mais graves. “Como se divide em diferentes tipos, é importante investigar a causa e direcionar tratamentos específicos”, explicou Dra. Lilia. Descubra os principais tipos da doença:

- Eczema de contato: provocado pelo contato com substâncias alérgicas, é mais comum em algumas partes do corpo. “Nas pálpebras, os esmaltes são os principais vilões; nas orelhas, o uso de bijouterias; e na região do umbigo, surgindo pelo contato com os botões das calças”, completou;

- Eczema atópico: geralmente, esse tipo surge associado à dermatite atópica. “Pode ocorrer por mudanças bruscas de temperatura ou por estresse, por exemplo”, indicou a médica;

- Eczema seborreico: associado ao excesso de oleosidade, o eczema seborreico também pode ser desencadeado pelo estresse ou pelo frio e ocorre, principalmente, no rosto (nas sobrancelhas e nariz) e no couro cabeludo.

Cada tipo de eczema exige um tratamento específico: descubra!

Segundo a dermatologista, os tratamentos variam de acordo com o tipo, a gravidade, a extensão do quadro e a idade do paciente. No entanto, em geral, inclui o uso de corticoides tópicos, em creme ou loção, para interromper o processo inflamatório. “É interessante o uso de água termal e de compressas geladas para aliviar a irritação durante as crises”, completou. Saiba mais sobre alguns tratamentos direcionados:

- Eczema de contato: evite o contato com as substâncias alérgicas: essa é a melhor maneira de conter as crises. Isso significa remover esmaltes que provocaram a alergia ou retirar os brincos responsáveis pelo eczema nas orelhas, por exemplo. Não esqueça também de reparar a barreira cutânea com produtos adequados;

- Eczema atópico: “Como é causada por uma alteração na barreira cutânea, é necessário recuperá-la através da hidratação”, indicou. Além disso, é interessante preferir banhos rápidos e mornos, com sabonetes suaves, para não agredir a pele;

- Eczema seborreico: para evitar a recorrência do quadro, é necessário controlar a produção de sebo na face e no couro cabeludo. Por isso, shampoos com ativos como o ácido salicílico são indicados. “Lavar os cabelos cerca de três vezes por semana e evitar água muito quente também é útil”, completou a dermatologista. Enquanto isso, na face, cremes com substâncias reguladoras da oleosidade, como derivados de ácido retinoico e LHA, são uma ótima opção.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.