Você sabe o que é a barreira cutânea? Como o próprio nome sugere, é um mecanismo de defesa do organismo que atua como uma espécie de camada protetora, impedindo a penetração de agentes externos na pele. Dessa forma, essa camada retém diversas substâncias nocivas às quais a pele é diariamente exposta. Quando isso ocorre, além de ficar enfraquecida, a pele tem seu potencial de hidratação reduzido, adquirindo um aspecto ressecado e provocando uma sensação de desconforto e irritação. Para compreender como prevenir esses danos, o DermaClub conversou com a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba, Paraná. Confira!

Saiba o que é a barreira cutânea e a sua função no organismo

A barreira cutânea possui um papel muito importante no organismo. É composta por células da camada mais superficial da pele (camada córnea) e por substâncias que unem essas células, como ceramidas, colesterol, ácidos graxos livres e gorduras. “Além de manter a proteção contra agressões externas e processos irritativos, ela impede a perda de água e, consequentemente, a desidratação”, explicou a Dra. Juliana.

Descubra os principais danos que afetam a barreira cutânea

Fundamental para a proteção da pele, a barreira cutânea é danificada diariamente a partir de hábitos triviais. Conheça quais são e como evitá-los:

- Produtos com álcool em sua composição: sabonetes bactericidas, álcool em gel e produtos de limpeza, por exemplo, podem ser bastante agressivos para a pele. “Como o álcool remove o componente lipídico da barreira cutânea, ela acaba enfraquecendo”, esclareceu a médica;

- Uso exagerado de esponjas durante o banho: a esponja também pode ser extremamente prejudicial para a barreira cutânea, já que irrita e remove lipídios da pele;

- Água quente: “A soma da água quente com a esponja e o sabonete seria equivalente ao ato de desengordurar uma panela. Na nossa pele esse ato promove a remoção do componente lipídico e, consequentemente, gera ressecamento e irritação”, contou Dra. Juliana.

Além disso, algumas alterações genéticas também podem gerar mudanças na constituição da barreira cutânea. “A formação deficiente da barreira em pacientes com dermatite é responsável por todas as suas características, como o ressecamento, a coceira, a vermelhidão e a irritação”, explicou a dermatologista.

A hidratação é fundamental para a recomposição da barreira cutânea

A barreira cutânea funciona como uma espécie de muro, onde as células são os “tijolos” e as substâncias que as unem são o “cimento”. Portanto, para recompô-la, o “cimento” que une as células deve ser reposto. “Os hidratantes refazem a composição do muro de tijolos da pele”, indicou Dra. Juliana, ressaltando ainda que a nutrição reduz a perda de água e mantém a pele hidratada e protegida.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.