Algumas manchas na pele são sinais de nascença ou podem surgir com o tempo, como consequências de exposição solar excessiva, alergias, doenças e envelhecimento. Em conversa com a dermatologista Tatiane Curi, de São Paulo, o DermaClub procurou saber quais são os tipos de manchas que podem aparecer na pele e os tratamentos para cada uma. Confira!

Conheça os tipos de manchas que podem surgir na sua pele

De acordo com a médica, as alterações na coloração da pele são causadas pelo depósito de pigmentos na derme e pela diminuição ou aumento da melanina - proteína responsável pela coloração da pele -, e seus efeitos podem ser classificados nas seguintes divisões:

1) Leucodermias ou Acromias: manchas brancas ocasionadas pela diminuição e ausência de melanina, respectivamente. Esses sintomas são comuns no albinismo, vitiligo e pitiríase versicolor - popularmente conhecida como pano branco;

2) Hipercromias ou manchas escuras: acontecem devido à produção excessiva de melanina. São comuns nas efélides (as famosas sardas), nevus (pintas e sinais), melasma - manchas escuras que aparecem, principalmente, na face da mulher devido ao sol, alterações hormonais, anticoncepcionais, gravidez e predisposição genética. E ainda existem as fitofotodermatoses, que são causadas por queimaduras e exposição solar de frutas cítricas como o limão, entre outras;

3) Manchas por depósito de substâncias exógenas: encontradas tanto na dermatite ocre, que são manchas arroxeadas ou marrons localizadas nas pernas e tornozelos devido à alteração vascular; quanto na carotenodermia, reconhecida por ser uma descoloração amarelada que ocorre devido ao depósito de carotenos na pele, pigmentos vegetais com cores que variam do amarelo ao vermelho.

Como é possível identificar que tipo de mancha de pele é cada uma?

De acordo com a Dra. Tatiane, nem sempre é fácil fazer essa identificação apenas observando. “A conversa com o paciente, a análise do seu histórico clínico e saber quais são os medicamentos que está tomando é imprescindível para realizar o diagnóstico”, disse. Algumas vezes também é necessário fazer uma biópsia para complementar e confirmar qual é a mancha existente.

Quais os tratamentos recomendados para cada mancha específica?

Para a médica, a primeira atitude a se tomar é identificar a causa da mancha para depois definir as opções terapêuticas. Para as manchas mais escuras, os tratamentos podem incluir medicamentos tópicos como clareadores e ácidos, intervenção cirúrgica ou a exclusão de medicamentos da rotina do paciente.

Já para manchas brancas, o cuidado depende da causa. Podem ser utilizados tratamentos que estimulem a célula que dá cor à pele, assim como medicamentos tópicos imunomoduladores e antifúngicos específicos orais.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.