Vem pro clube! É rápido, fácil e grátis. CADASTRE-SE

Mau cheiro nas axilas? Saiba o que é a bromidrose e dicas de como evitar e tratar o odor na região

Mau cheiro na axila? Saiba o que é a bromidrose e veja dicas de como evitar e tratar!
Mau cheiro na axila? Saiba o que é a bromidrose e veja dicas de como evitar e tratar!

Entrevista com Dra. Lilian Akemi Ota, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Mau odor nas axilas: você costuma sentir com certa frequência? Se sim, não precisa se envergonhar. Esse problema é mais comum do que muitas pessoas imaginam. Conhecido clinicamente como bromidrose axilar, esse cheiro incômodo vindo das axilas acomete homens e mulheres, de idades distintas, e pode ser bastante desconfortável.

Ao contrário do que muitos pensam, apesar do suor ser normal, o mau odor nas axilas não é um bom sinal e caracteriza a proliferação de bactérias na área. Para entender por que e como o problema acontece, o DermaClub conversou com a dermatologista Lilian Akemi Ota, de São Paulo, que indicou o caminho das pedras para se ver livre da bromidrose.

Mau cheiro nas axilas: descubra como e por que acontece o problema

O mau cheiro nas axilas, em geral, é causado pela produção exagerada de suor, que resulta na descamação da região. “Assim, aumenta a colonização bacteriana, que é a responsável pelo odor forte. A presença de pelos na área também pode piorar o caso devido à maior aderência bacteriana nas hastes dos fios”, comentou a dermatologista, afirmando que o suor é normal, mas não produz odores. Por isso, é preciso ficar atento para a bromidrose e tratá-la de forma correta.

Como acabar com o mau odor nas axilas: entenda quais são as soluções

Você já esqueceu de passar desodorante antes de sair de casa? Apesar de ter efeito limitado, os desodorantes antitranspirantes são fundamentais no controle do mau odor nas axilas. “No entanto, depois que o tempo de ação passa, é possível sentir o odor”, disse. Aliado a este produto, a dermatologista indica outros gestuais que devem fazer parte do ritual de cuidados de quem sofre com a bromidrose axilar. “Utilize água morna no banho, não esfregue as axilas, evite tecidos sintéticos - pois eles não absorvem o suor adequadamente - e mantenha a higiene em dia”, recomendou. Fique de olho nessa rotina de cuidados:

1. Lave as axilas com água morna e um sabonete ou loção de limpeza hidratante para remover os resíduos e sujeiras da região;

Produtos relacionados

2. Seque bem a região das axilas para evitar a proliferação de fungos ou a formação de micose;

3. Finalize aplicando um desodorante antitranspirante para evitar o mau odor nas axilas por muito mais tempo.

Produtos relacionados

Eliminando a sudorese: saiba como minimizar o suor excessivo na axila

Como a sudorese é a responsável pelo mau cheiro, uma das soluções para eliminar os dois problemas de vez é minimizar a produção de suor. “Quando a pessoa sua muito e isto começa a afetá-la socialmente, muitas vezes levando a um constrangimento social, é necessária a ajuda de um dermatologista. Existem diversos tipos de tratamento, desde um desodorante mais adequado, medicamentos via oral, toxina botulínica, até aparelhos a laser. O dermatologista é o especialista adequado para tratar estes casos”, aconselhou.

Bromidrose em outras partes do corpo

Além da axila, a bromidrose pode estar presente em outro locais que possuam glândulas produtoras de suor. São eles: segmento cefálico - face, orelhas e couro cabeludo -, regiões de dobras ou intertriginosas - como axila, virilha, tórax e sulco interglúteo -, além das áreas palmo plantares, como as mãos e pés. “Para cada região pode-se investir em um tratamento. Por isso, é fundamental a consulta com o dermatologista”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 16 de Setembro de 2015
Modificada em: 23 de Julho de 2021

Dra. Lilian Akemi Ota

Palavra do Dermatologista

Dra. Lilian Akemi Ota

CRM: 66202

Médica com título de especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, formada pela USP com residência médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da American Academy of Dermatology. Atua nas áreas de dermatologia clínica de adultos e crianças, cosmiatria e cirurgia dermatológica.

Ficou com dúvidas?

Encontre aqui o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia mas perto de você!

recomendadas para você

Caspa pode causar a queda de cabelo? Saiba como acabar com a perda dos fios e tratar a dermatite seborreica

Caspa pode causar a queda de cabelo? Saiba como acabar com a perda dos fios e tratar a dermatite seborreica

Caspa

Como diminuir a caspa da dermatite seborreica: rotina capilar + cuidados com o couro cabeludo descamando

Como diminuir a caspa da dermatite seborreica: rotina capilar + cuidados com o couro cabeludo descamando

Caspa

Shampoo para caspa: como usar e escolher o melhor produto para tratar a coceira na cabeça?

Shampoo para caspa: como usar e escolher o melhor produto para tratar a coceira na cabeça?

Caspa

Como diminuir a oleosidade do cabelo: produtos e cuidados para tratar a caspa, coceira e dermatite seborreica

Como diminuir a oleosidade do cabelo: produtos e cuidados para tratar a caspa, coceira e dermatite seborreica

Caspa

Esfoliante para o couro cabeludo: ajuda com a caspa? Resseca o cabelo? 4 mitos e verdades sobre o assunto

Esfoliante para o couro cabeludo: ajuda com a caspa? Resseca o cabelo? 4 mitos e verdades sobre o assunto

Caspa

Shampoo anticaspa: posso usar todos os dias? Resseca o couro cabeludo? Entenda!

Shampoo anticaspa: posso usar todos os dias? Resseca o couro cabeludo? Entenda!

Caspa

Últimas Matérias

Hidratante para pele com espinhas? Saiba porque a pele ressecada pode aumentar a oleosidade e a acne É possível fechar os poros abertos? Que cuidados com a pele oleosa devem ser adotados? Manchas, envelhecimento, câncer de pele: por que você não deve descuidar da proteção solar mesmo no inverno! Linhas de expressão na testa: veja como é possível amenizar esses sinais da pele! Resenha H.A. Filler: veja como o sérum anti-idade de Vichy ajuda a evitar rugas e linhas de expressão Rotina de skincare com Effaclar: saiba como incluir o sabonete para pele oleosa no ritual diurno e noturno
Ver mais

escolha a loja de sua preferência