Vem pro clube! quer ganhar descontos o ano todo e ainda trocar seus pontos por produtos? cadastre-se

ja faz parte
do clube?

como comprar

ainda não faz
parte do clube?

cadastre-se

Vem pro clube! É rápido, fácil e grátis. CADASTRE-SE

Microbioma da pele: o que é e qual a importância de cuidar? Entenda!

Entenda o que é o microbioma da pele e porque ele deve ser preservado / Foto: Pexels
Entenda o que é o microbioma da pele e porque ele deve ser preservado / Foto: Pexels

Entrevista com Dra. Giselle Sanches, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Produtos relacionados

Você sabia que a nossa pele é habitada por milhares de bactérias, fungos e vírus? Esses microrganismos que vivem em nosso organismo é chamado de microbioma, e tem a função de proteger nosso corpo de doenças e outros problemas sérios, como o ressecamento e a sensibilidade da pele. O DermaClub conversou com a dermatologista Giselle Sanches, de São Paulo, que explicou melhor o que é o microbioma e por que é tão importante cuidar desse ecossistema cutâneo. Veja só!

O que é o microbioma da pele? Entenda a sua função

De acordo a médica, a pele é formada por bactérias e fungos “bonzinhos” que têm a função de proteger a região, como se fosse uma barreira. “Esses microrganismos são os chamados comensais, e a presença deles na pele previne o surgimento de germes causadores de doenças, além de manter o pH da pele em equilíbrio”. Todo esse ecossistema importante para a saúde da pele é chamado de microbioma.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

O que pode afetar o microbioma da pele e prejudicá-la?

O microbioma pode ser afetado por vários fatores, como a má alimentação, os hábitos de higiene e banho, o uso de cosméticos, sabonetes e produtos que removem essas bactérias boas ou causam algum tipo de reação à pele, além do estresse emocional. A Drª Giselle explica que quando isso acontece, a região acaba sendo bastante prejudicada: “Quando há redução na população de nosso microbioma, as bactérias, fungos e vírus que causam infecções e doenças podem se instalar. Por isso manter essa harmonia é tão importante”.

5 sinais que indicam que o microbioma está em desequilíbrio

Quando ocorrem alterações no microbioma, os efeitos são negativos. A pele tende a ficar desprotegida e isso faz com que a região fique sensível, com diminuição do espaço entre as crises de psoríase e de dermatite atópica e acne.

É importante saber que, uma pele desidratada, com o pH alterado ou danificada pode comprometer o desequilíbrio do microbioma, pois a alteração desse ambiente da pele favorece a proliferação de microrganismos ruins.

Por que é tão importante manter o microbioma em equilíbrio?

Quando nossa pele começa a reclamar - ficando sensível, ressecada e irritada - muito provavelmente o seu microbioma também vai sofrer um desequilíbrio . Manter esse ecossistema em harmonia é extremamente importante para evitar o surgimento de doenças na pele e também pode ser uma oportunidade de levar uma vida muito mais saudável e sem estresse.

A dermatologista conta que, em uma sociedade cada vez mais agitada e competitiva, o estresse é um grande condutor, inclusive, na mudança de estilo de vida e de hábitos alimentares. “Por isso, a redução do estresse facilita a manutenção da flora porque os hormônios liberados durante o estresse alteram a secreção de nossas glândulas sebáceas e sudoríparas e o pH da nossa pele”, explicou.

Atualmente, são vários os fatores que podem prejudicar a nossa pele e dificilmente conseguimos controlar todos eles. Dessa forma, esses fatores também acabam por alterar o nosso microbioma. Portanto, tudo que podemos fazer para restaurar esse equilíbrio é válido.

4 maneiras de cuidar do microbioma da pele:

1) Tomar banho morno e rápido, com sabonetes que consigam manter a hidratação e o pH da pele, preservando o microbioma da pele e garantindo alívio à pele;

2) Manter a pele sempre hidratada, mesmo que sua seja oleosa. Assim você mantém um ambiente na pele favorável para os microrganismos bons.

3) Apostar em um hidratante com ativos prebióticos que favorecem as bactérias boas do microbioma, protegendo a região das doenças de pele;

4) Evitar o uso de produtos muito agressivos para a pele, como sabonetes com muito alto poder de detergência;

5) Em relação ao estresse, tentar incluir atividades físicas na programação pode ajudar, além de procurar profissionais que auxiliem no controle da ansiedade.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 20 de Junho de 2019
Modificada em: 16 de Agosto de 2019

Dra. Giselle Sanches

Palavra do Dermatologista

Dra. Giselle Sanches

CRM: 117116 / RQE 37933

Título de Especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Dermatologia; Título de Especialista em Clínica Médica pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Clínica Médica; Graduação em Medicina pela PUC de São Paulo; Pós-graduação em Dermatologia pelo Hospital Heliópolis (SUS); Pós-graduação em Clínica Médica pela Universidade Federal de São Paulo; Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Ficou com dúvidas?

Encontre aqui o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia mas perto de você!

recomendadas para você

Uso de máscara de proteção e skincare: dermatologista explica como adaptar a rotina durante a quarentena

Uso de máscara de proteção e skincare: dermatologista explica como adaptar a rotina durante a quarentena

Dermatologista

Quarentena e doenças de pele: crises de dermatite atópica e psoríase podem agravar-se com a falta de sol?

Quarentena e doenças de pele: crises de dermatite atópica e psoríase podem agravar-se com a falta de sol?

Dermatologista

Estresse, sono desregulado, má alimentação... Entenda como a quarentena pode afetar a sua pele

Estresse, sono desregulado, má alimentação... Entenda como a quarentena pode afetar a sua pele

Dermatologista

Vitamina C na alimentação x vitamina C em dermocosméticos: entenda os benefícios e diferenças de cada tipo

Vitamina C na alimentação x vitamina C em dermocosméticos: entenda os benefícios e diferenças de cada tipo

Dermatologista

Cabelo saudável na quarentena: como o cabelo pode sofrer com o estresse, má alimentação e sono desregulado

Cabelo saudável na quarentena: como o cabelo pode sofrer com o estresse, má alimentação e sono desregulado

Dermatologista

Dermatite atópica pode agravar-se com o estresse? Dermatologista explica a piora das crises

Dermatite atópica pode agravar-se com o estresse? Dermatologista explica a piora das crises

Dermatologista

Últimas Matérias

Efeitos da COVID-19 na pele: dermatologista explica como a doença também pode se manifestar no corpo Entenda a diferença entre os 3 séruns anti-idade de La Roche-Posay: Salicyli C10, Retinol B3 e Hyalu B5 Repair Heróis da vida real: relato de um dermatologista que trabalha na linha de frente contra a COVID-19 Rotina de skincare na quarentena para cada tipo de pele + dicas para cabelo e corpo Aparelhos removedores de cravos: funcionam? Quais os riscos? Como remover de forma segura e como evitar Coceira na pele após o banho: entenda porque isso acontece e como tratar
Ver mais