Vem pro clube! quer ganhar descontos o ano todo e ainda trocar seus pontos por produtos? cadastre-se

ja faz parte
do clube?

como comprar

ainda não faz
parte do clube?

cadastre-se

Vem pro clube! É rápido, fácil e grátis. CADASTRE-SE

Protetor solar: o que preciso ler no rótulo? Dermatologista esclarece os principais pontos para ficar atento

Instagram: @marcelawitt, @larocheposaybr
Instagram: @marcelawitt, @larocheposaybr

Entrevista com Dra. Giselle Sanches, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Produtos relacionados

Você tem o hábito de ler o rótulo dos produtos antes de comprar? Essa atitude é muito importante, principalmente quando se trata do protetor solar. Para garantir uma boa proteção, o dermocosmético precisa ter um FPS alto, com PPD equivalente e uma textura que combine com a sua pele. Para esclarecer melhor esse assunto, o DermaClub conversou com a dermatologista Gisele Sanches, de São Paulo, que listou todas as características que o seu filtro precisa ter. Fique de olho!

O que o meu filtro solar precisa ter?

Hoje, o que não falta nas prateleiras das farmácias são protetores de diversas marcas para todos os tipos de pele. Você fica até perdido no meio de tanto produtos! Mas para não comprar qualquer produto, a médica conta que é importante considerar alguns fatores na hora da escolha:

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

“Seu tipo de pele (mista, oleosa ou seca), a cor da sua pele, o quanto você se expõe aos raios solares (aqui deve-se ter em conta a sua rotina e não somente quando está sol), se você tem alguma alergia ou doença de pele que possa interferir ou se agravar com o produto, a composição do protetor solar e se o dermocosmético tem proteção UVA e UVB ese o valor do PPD é informado”, apontou.

O que precisamos prestar atenção no rótulo antes de comprar:

Antes de comprar o seu produto, você precisa criar o hábito de conferir o rótulo. É importante ficar de olho no valor do FPS (Fator de Proteção Solar), responsável pela proteção contra os raios UVB, o grando responsável pelo câncer da pele, e no PPD (Persistent Pigmented Darkening), que corresponde à proteção do UVA, principal responsável pelo ao fotoenvelhecimento e manchas – , geralmente identificado com o símbolo de “+” em frente da nomenclatura do produto.

Além disso, a Drª Gisele explica que é fundamental reparar para qual tipo de pele o protetor é indicado e se ele também possuiu alguma funcionalidade, como ação como anti-rugas, cor de base, efeito mate, que retira o brilho da pele oleosa, e toque limpo. “Neste caso, se tem pele oleosa, procure por produto com toque limpo. Já se você tem pele seca deve buscar por protetores com ação hidratante e que possuam ácido hialurônico. As peles sensíveis devem evitar parabenos e derivados fenólicos e certificar que o produto é apropriado para peles sensíveis ou sensibilizadas.”, ressaltou. O mais importante é buscar por produtos que contenham proteção de amplo espectro, ou seja, possuem proteção contra UVB, UVA curto e UVA longo, além de possuir ação antioxidante que protege contra os radicais livres e fotoenvelhecimento.

O que é FPS?

A dermatologista conta que o FPS significa quanto tempo a mais que sua pele demorará para ficar vermelha comparada sem fotoproteção. “Em média, uma pele clara leva seis minutos exposta ao sol para ficar vermelha. Então, se a pessoa usar um protetor com FPS 30, significa que ela poderá ficar 150 minutos exposta sem se queimar”, garantiu.

Sendo assim, o fator mais alto tem durabilidade cronológica maior, cerca de seis horas. Mas o efeito prolongado, não significa que você vai ficar o dia inteiro sem reaplicar o produto. “É imprescindível reforçar o protetor assim que ele terminar a sua ação - a cada duas horas após a primeira aplicação”, atentou a médica.

O é PPD?

O PPD vai medir o quanto o protetor é capaz de bloquear os raios UVA – responsáveis, principalmente por causar fotoenvelhecimento e manchas. De modo indireto (estresse oxidativo) a radiação UVA vem sendo relacionada ao câncer da pele. “Os raios UVA não se alteram em relação às estações do ano. Por isso, todo dermatologista recomenda ao paciente usar protetor diariamente e não somente em estações mais quentes. Geralmente, consideramos ideal a partir de 10, como regra geral, o PPD deve representar a metade do FPS”, indicou a especialista.

Agora que você já sabe de todas as informações importantes para comprar o seu filtro solar, chegou a hora de procurar um produto que é a sua cara!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 19 de Junho de 2019
Modificada em: 14 de Agosto de 2019

Dra. Giselle Sanches

Palavra do Dermatologista

Dra. Giselle Sanches

CRM: 117116 / RQE 37933

Título de Especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Dermatologia; Título de Especialista em Clínica Médica pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Clínica Médica; Graduação em Medicina pela PUC de São Paulo; Pós-graduação em Dermatologia pelo Hospital Heliópolis (SUS); Pós-graduação em Clínica Médica pela Universidade Federal de São Paulo; Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Ficou com dúvidas?

Encontre aqui o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia mas perto de você!

recomendadas para você

Uso de máscara de proteção e skincare: dermatologista explica como adaptar a rotina durante a quarentena

Uso de máscara de proteção e skincare: dermatologista explica como adaptar a rotina durante a quarentena

Dermatologista

Quarentena e doenças de pele: crises de dermatite atópica e psoríase podem agravar-se com a falta de sol?

Quarentena e doenças de pele: crises de dermatite atópica e psoríase podem agravar-se com a falta de sol?

Dermatologista

Estresse, sono desregulado, má alimentação... Entenda como a quarentena pode afetar a sua pele

Estresse, sono desregulado, má alimentação... Entenda como a quarentena pode afetar a sua pele

Dermatologista

Vitamina C na alimentação x vitamina C em dermocosméticos: entenda os benefícios e diferenças de cada tipo

Vitamina C na alimentação x vitamina C em dermocosméticos: entenda os benefícios e diferenças de cada tipo

Dermatologista

Cabelo saudável na quarentena: como o cabelo pode sofrer com o estresse, má alimentação e sono desregulado

Cabelo saudável na quarentena: como o cabelo pode sofrer com o estresse, má alimentação e sono desregulado

Dermatologista

Dermatite atópica pode agravar-se com o estresse? Dermatologista explica a piora das crises

Dermatite atópica pode agravar-se com o estresse? Dermatologista explica a piora das crises

Dermatologista

Últimas Matérias

Efeitos da COVID-19 na pele: dermatologista explica como a doença também pode se manifestar no corpo Entenda a diferença entre os 3 séruns anti-idade de La Roche-Posay: Salicyli C10, Retinol B3 e Hyalu B5 Repair Heróis da vida real: relato de um dermatologista que trabalha na linha de frente contra a COVID-19 Rotina de skincare na quarentena para cada tipo de pele + dicas para cabelo e corpo Aparelhos removedores de cravos: funcionam? Quais os riscos? Como remover de forma segura e como evitar Coceira na pele após o banho: entenda porque isso acontece e como tratar
Ver mais