Vem pro clube! quer ganhar descontos o ano todo e ainda trocar seus pontos por produtos? cadastre-se

ja faz parte
do clube?

como comprar

ainda não faz
parte do clube?

cadastre-se

MINÉRAL 89 30ML DE R$119,90 POR R$99,90. APROVEITE AGORA

Quais são as causas da espinha interna? Descubra quais são os melhores tratamentos para acne

Espinhas internas causam um certo incômodo e uma de suas maiores causas é a alta produção de sebo das glândulas sebáceas
Espinhas internas causam um certo incômodo e uma de suas maiores causas é a alta produção de sebo das glândulas sebáceas

Entrevista com Dra. Vanessa Metz, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Produtos relacionados

As espinhas são bem incômodas e podem causar uma série de problemas à sua pele, como cicatrizes e manchas escuras. Além daquelas feridas comuns, também existem as espinhas internas, que levam esse nome porque não têm abertura ou pus visível. Elas também costumam ser palpáveis, doloridas e, muitas vezes, evoluem para um grande inchaço. Você sabe as causas dessas lesões? Quais fatores podem desencadear essas espinhas? O DermaClub bateu um papo com a dermatologista Tatiana Mattos, de Salvador, que esclareceu essas dúvidas.

O que pode causar uma espinha interna?

As espinhas internas, também conhecidas como pápulas eritematosas inflamatórias que não evoluem para pústula, são lesões que surgem nas camadas mais profundas da pele. Elas podem até erupcionar com o tempo, mas, quando isso não acontece, ficam bastante doloridas. De acordo com a Drª Tatiana, essa acne se forma por uma junção de fatores: “Pelo hipersecretor da glândula sebácea associada à obstrução da glândula pela queratina e pela colonização de bactérias na região, que evitam a saída da inflamação”

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

A espinha interna só aparece na pele oleosa?

Sim, elas são mais comuns na pele oleosa, já que a produção de oleosidade é maior e torna mais fácil o entupimento das glândulas sebáceas devido ao acúmulo de sebo. Entretanto, essas lesões podem se desencadear em todos os tipos de pele - mista, normal e até mesmo a pele seca, mesmo que seja menos comum.

5 cuidados para prevenir as espinhas internas

- Lave seu rosto todos os dias com sabonetes faciais adequados para o seu tipo de pele com ativos que ajudam a controlar o excesso de oleosidade do rosto;
- Use produtos seborreguladores, como um tônico adstringente que ajuda a contrair os poros, na sua rotina de cuidados com a pele;
- Se a sua pele for muito oleosa, aposte em um cuidado antiacne para evitar que um comedão comum se torne numa espinha interna;
- Hidrate o rosto todos os dias - esse cuidado ajuda a prevenir o excesso de oleosidade na pele;
- Use protetor solar todos os dias, principalmente aquele que controla a produção de sebo e tenha efeito matte ou toque seco.

Um dermatologista pode indicar opções de produtos que controlem a oleosidade da pele e a produção de sebo, evitando as espinhas.

Podemos manipular as espinhas internas? Saiba como tratar essas lesões

Jamais podemos manipular uma espinha! A dermatologista explica: “Esse tipo de lesão não vai drenar ao ser espremida, só vai ficar mais inflamada”. A melhor forma de tratar a lesão é procurando um dermatologista, que, muitas vezes, pode indicar o uso de medicamentos via oral.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 14 de Dezembro de 2017
Modificada em: 23 de Agosto de 2019

Dra. Vanessa Metz

Palavra do Dermatologista

Dra. Vanessa Metz

CRM: 52794953

Dra. Vanessa Metz é especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, formada em medicina pela Faculdade Souza Marques e pós-graduada em dermatologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Foi vice-presidente da Associação dos Dermatologistas da UERJ (ADUERJ) no ano de 2009 e professora substituta do serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto no ano de 2010. É sócia efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da Academia Americana de Dermatologia (AAD). Está em constante atualização participando de cursos e congressos no Brasil e exterior para trazer aos seus pacientes o que há de mais moderno.

Ficou com dúvidas?

Encontre aqui o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia mas perto de você!

recomendadas para você

Rotina de pele oleosa para clarear manchas de acne: passo a passo para uniformizar o tom da pele

Rotina de pele oleosa para clarear manchas de acne: passo a passo para uniformizar o tom da pele

Acne e espinha

Água termal no tratamento da psoríase realmente funciona? Confira a opinião de uma dermatologista

Água termal no tratamento da psoríase realmente funciona? Confira a opinião de uma dermatologista

Dermatologista

Vitamina C, ácido hialurônico, ácido glicólico... Quais substâncias podem ser usadas no sol e na praia?

Vitamina C, ácido hialurônico, ácido glicólico... Quais substâncias podem ser usadas no sol e na praia?

Dermatologista

Vitamina B3 (niacinamida): o que é? Conheça a substância e o que ela pode fazer pela sua pele

Vitamina B3 (niacinamida): o que é? Conheça a substância e o que ela pode fazer pela sua pele

Dermatologista

Queimadura solar pode se tornar uma mancha? Dermatologista esclarece o assunto

Queimadura solar pode se tornar uma mancha? Dermatologista esclarece o assunto

Dermatologista

Rosácea, sensibilidade, dermatite: 5 problemas na pele que surgem com o desequilíbrio do microbioma

Rosácea, sensibilidade, dermatite: 5 problemas na pele que surgem com o desequilíbrio do microbioma

Dermatologista

Últimas Matérias

Microbioma da pele: o que é? Entenda o que são cuidados prebióticos, probióticos e pós-bióticos Esfoliante para o couro cabeludo: ajuda com a caspa? Resseca o cabelo? 4 mitos e verdades sobre o assunto Queratina: o que é? Qual é a função da queratina nos cabelos? Como usar na rotina de cuidados capilar? SOS lábios: cuidados e procedimentos para deixar a sua boca ainda mais bonita Os riscos da limpeza de pele excessiva: efeito rebote, irritação... Confira os principais Óleo de Melaleuca (Tea Tree Oil): para que serve? É seguro? Quais os benefícios para a pele oleosa?
Ver mais