Poluição, radiação solar, tabagismo e má alimentação: você sabe o que esses fatores têm em comum? Todos colaboram para a formação excessiva de radicais livres - moléculas instáveis capazes de danificar a pele e suas estruturas. A partir desse processo, nasce outro problema: o estresse oxidativo - resultado da interação dessas moléculas reativas com as células da pele -, que promove sinais de envelhecimento precoce, como rugas, manchas e flacidez. No entanto, é possível minimizar todos esses impactos. O DermaClub convidou a dermatologista Lilia Guadanhim, de São Paulo, que deu 5 dicas para manter a pele saudável e firme por mais tempo.

O que é o estresse oxidativo e como ele é causado?

De acordo com a médica, “o estresse oxidativo acontece pela formação de radicais livres ou espécies reativas de oxigênio que ativam as células, levando ao envelhecimento da pele”. Uma vez que essas vias são ativadas, acontece o aumento da produção de metaloproteinases - enzimas que destroem as fibras do colágeno e diminuem a formação de uma nova proteína. Com isso, o surgimento dos sinais do envelhecimento precoce, como as rugas e a flacidez, se tornam inevitáveis.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Mas, sabia que existem maneiras de evitar o estresse oxidativo?

1) Mantenha uma alimentação saudável

Segundo a dermatologista, “uma dieta saudável e colorida é rica em antioxidantes - substâncias capazes de reduzir o estresse oxidativo”. Portanto, a dica é: tenha uma alimentação equilibrada e mantenha a pele forte.

2) Pratique atividades físicas

Sabemos que a prática de atividades físicas é benéfica para a saúde como um todo, melhorando o sistema cardiovascular, a disposição corporal, além de evitar o aumento dos radicais livres na pele. “No entanto, a prática de modalidades extenuantes, como maratonas e crossfit, aumentam a produção de radicais livres”. A dica é evitar os excessos!

3) Pare de fumar

O tabagismo é um hábito que atinge de maneira negativa nossa saúde: aumenta os riscos de doenças pulmonares e cardiovasculares, e acelera o processo de envelhecimento cutâneo. “O cigarro é uma fonte expressiva de radicais livres e poluentes – apenas uma ‘tragada’ corresponde a inalação de 3800 substâncias nocivas”, atentou a Dra. Lilia. Que tal pensar sobre o assunto e largar de vez este vício? Sua pele e organismo agradecem!

4) Use o filtro solar

Os gatilhos mais comuns para a produção de radicais livres são, sem dúvida, a radiação ultravioleta (UVA e UVB) e a poluição. Proteger a pele do sol e dos poluentes de maneira adequada e rotineira consegue prevenir o envelhecimento precoce. Portanto, use regularmente o filtro solar de FPS 30, no mínimo, e, em casos de alta exposição, lembre-se de utilizar barreiras físicas, como chapéus, óculos e roupas. Além disso, invista em antioxidantes, a fim de proteger também contra a poluição.

5) Os antioxidantes são seus melhores amigos

Antioxidantes, como o próprio nome já diz, são substâncias que conseguem reduzir o estresse oxidativo. “O consumo oral de antioxidantes associado ao uso tópico desses ativos - como as vitaminas C e E, por exemplo -, consegue reduzir o estresse oxidativo e evitar o envelhecimento”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.