Muitas mulheres se perguntam se a luz visível - a parte da luz solar que enxergamos - pode causar manchas escuras na pele. De acordo com a dermatologista Carolina Zaparoli, de São Paulo, essa radiação - que também pode ser emitida por lâmpadas, computadores e celulares - corresponde a cerca de 40% do total da radiação que chega ao planeta, que consegue penetrar profundamente na pele, além de atravessar o vidro das janelas. Aparentemente inofensiva, ela é capaz de ocasionar problemas na pele, como o temido melasma. Pensando nisso, o DermaClub esclareceu essa questão com a especialista. Confira!

Afinal de contas, a luz visível pode causar o melasma?

É sabido que a exposição solar, os hormônios da gravidez e as pílulas anticoncepcionais são alguns dos fatores que podem ocasionar o surgimento do melasma - manchas amarronzadas que aparecem no rosto e em outras partes do corpo. Entretanto, muitos estudos comprovam que, especificamente, a luz visível é a faixa da radiação solar que é responsável pelo desencadeamento dessas marcas na pele. Será verdade?

De acordo com a Dra. Carolina, “a chamada luz azul - parte da luz visível que possui maior energia - está relacionada com diversas doenças de pele, dentre manchas, queimaduras e o envelhecimento precoce”, esclareceu. Por penetrar de forma mais profunda, ela promove uma pigmentação mais difícil de tratar.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

É possível prevenir o melasma que surge através da luz visível com filtro solar

Segundo a Dra. Carolina, os filtros solares comuns não são capazes de nos proteger contra a luz visível e azul. “Estudos mostram que a melhor proteção para essa radiação é feita com filtros com cor”, explicou. Sendo assim, mesmo em ambientes fechados prefira apostar em um produto com cor que se fundem e se adaptam perfeitamente à pele. É importante frisar que essa proteção depende sempre do tipo e intensidade dos pigmentos que dão cor à fórmula - por isso, procure sempre o seu dermatologista antes de investir no melhor protetor solar.

Conheça os principais cuidados e tratamentos para o melasma

O tratamento do melasma exige paciência. As manchas podem clarear com o decorrer dos cuidados, porém, após algum tempo elas acabam voltando a escurecer novamente. Além disso, quanto mais antigas elas forem, mais difícil será clareá-las. “Sendo assim, para não agravar o problema, o uso de protetor solar é obrigatório e deve ser feito a cada duas horas, associado a cremes clareadores. Dê preferência a filtros que ofereçam proteção de amplo espectro, que protejam contra os raios UVA, UVB, luz visível e contra os danos do infravermelho e poluição”.

Além disso, a vitamina C, por ser mais suave, acaba se tornando uma ótima aliada no tratamento do melasma no verão - sempre em conjunto com o filtro solar. Outra opção é o peeling: “Um dos tratamentos estéticos mais eficazes no combate ao melasma, pois clareia a pele de forma gradual e mais rapidamente”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.