O DHEA é conhecido como o hormônio da juventude, responsável pela melhora da disposição durante o dia e pelo estímulo da libido. O pico de sua produção é em torno dos 25 anos e a diminuição por volta dos 45 e, com isso, algumas consequências na pele são percebidas, entre elas, o aumento do ressecamento e a redução da firmeza e do viço.

Qual é a importância do DHEA para a pele?

A partir dos 45 anos, a perda de elasticidade é mais visível, causando rugas, marcas de expressão e flacidez. Isso acontece porque os níveis de DHEA estão em baixa devido à chegada da menopausa. E para quem quer manter o rosto saudável e bonito por mais tempo é mais do que fundamental cuidar da pele com produtos adequados.

Segundo a dermatologista Vanessa Metz, do Rio de Janeiro, a grande questão é como conseguir alcançar mais colágeno - substância que mantém a sustentação do tecido cutâneo - após uma determinada idade. “Nesse período, não produzimos mais a substância com a mesma qualidade, nem quantidade de antes. Assim, a produção não acaba, mas se torna insuficiente. Por isso, é preciso se preocupar em estimular a produção dessa proteína para tentar ajudar a pele”, esclareceu.

Veja o que acontece com a pele durante a menopausa e com a queda do DHEA

Durante essa época, a produção de colágeno decresce e há redução progressiva da concentração de ácido hialurônico e outros componentes que preenchem a pele. Além disso, devido à queda de lipídios na camada superficial, a pele fica mais seca, o que piora as rugas.

Quais devem ser os cuidados para contornar os efeitos da menopausa da pele?

De acordo com a Dra. Vanessa Metz, apesar de serem incômodas, essas questões podem ser amenizadas com os cuidados certos. “Pode-se apostar em ativos que ativarão a produção de lipídios não comedogênicos da superfície da pele, colágeno e componentes preenchedores. Os melhores veículos para estas substâncias são os que promovem hidratação, sem deixar a pele pegajosa, como os sérums hidratantes. Para as que sofrem com as ondas de calor, típicas da menopausa, o recomendado é usar água termal gelada ou até mesmo gelo para amenizar a sensação”, indicou.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.