O ácido hialurônico é uma substância bastante presente no organismo, que mantém a pele naturalmente hidratada e viçosa. Porém, a partir dos 40 anos, sua produção congênita passa a ser interrompida, tornando a reposição essencial para preservar a firmeza e nutrição da pele por mais tempo - por meio de produtos tópicos ou preenchimento. Além dessas, você sabia que existem outras curiosidades importantes sobre o ácido hialurônico? O DermaClub entrevistou a dermatologista Lilia Guadanhim, de São Paulo, que contou mais sobre o ativo. Olha só!

O ácido hialurônico e os seus benefícios para a pele

De acordo com a médica, o ácido hialurônico é um componente natural do organismo e corresponde até 55% de toda a pele. “A substância consegue atrair água e, assim, ter um grande potencial hidratante para a pele. Além disso, atua na diferenciação celular, promove remodelamento de tecidos e auxilia na regulação da cicatrização”, explicou.

Afinal, como o ativo pode ajudar na hidratação cutânea?

A Dra. Lilia esclarece: “A molécula do ácido hialurônico é altamente higroscópica (absorve água), o que promove hidratação dos tecidos”. Dessa forma, a nutrição da pele pode ser preservada ou devolvida por meio do uso de dermocosméticos de uso tópico e de procedimentos clínicos, como o preenchimento facial.

Ácido hialurônico + antioxidantes ajudam na proteção contra os agentes externos

Todos os dias, estamos expostos a agentes externos e internos que danificam a pele, como o sol, a poluição, as mudanças climáticas, além da má alimentação e do estresse. Esses fatores incentivam a produção de radicais livres - moléculas instáveis que danificam a pele, promovendo envelhecimento precoce e seus sinais, como rugas, flacidez e manchas. Para se proteger de todos esses efeitos, dermatologistas aconselham a combinação de substâncias antioxidantes, como a água termal, e hidratantes, como o ácido hialurônico, que deixam a pele mais forte. “Além disso, alguns produtos têm tecnologia antipoluição, reduzindo a aderência de partículas poluentes à pele, combatendo o envelhecimento extrínseco”, concluiu a médica.

Segundo a Dra. Lilia, também é importante que o filtro solar esteja presente na rotina de cuidados para minimizar os danos da exposição UVA e UVB.

Ficou com dúvidas? Não esqueça de conversar com o seu dermatologista para encontrar os dermocosméticos ideais para as suas necessidades.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.