Existem muitas coisas que podem causar sensibilidade na pele. Além de procedimentos estéticos, maquiagem e produtos com substâncias alergênicas, a mudança climática, o frio e banhos quentes e demorados também geram essa condição. Fora esses fatores, muita gente tem dúvida se o uso de ácidos também pode deixar a pele sensível, principalmente o ácido salicílico - muito utilizado no tratamento de espinhas e no controle da oleosidade.

Para entender melhor como funciona essa substância e se ela realmente causa sensibilidade na pele, o DermaClub esclareceu algumas questões sobre o assunto e ainda indicou os principais cuidados para evitar que a pele fique fragilizada.

Ácido salicílico: qual é a função desse ativo?

O ácido salicílico é um beta-hidroxiácido que possui propriedades esfoliantes e seborreguladoras, ação anti-inflamatória, além de prevenir a contaminação de bactérias e fungos na pele oleosa, acneica e mista. Uma das maiores funções desse ativo é realizar a renovação cutânea, processo que remove as células mortas da pele e estimula a produção de novas. Esse mecanismo promove o controle da oleosidade e ainda minimiza a formação de espinhas, cravos e a aparência de poros dilatados.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

O ácido salicílico pode deixar a pele sensível?

Depende! Se seu uso for além do recomendado ou tiver uma concentração muito alta, o ácido salicílico pode, sim, causar ressecamento e sensibilidade na pele. Mas por que isso acontece? É bem fácil de explicar: o ativo proporciona uma ação queratolítica - que remove as camadas mais superficiais da pele -, promovendo a renovação celular através de uma esfoliação que ele mesmo realiza na região onde é aplicado - imagina esse processo quando aplicamos a substância em uma concentração bastante elevada e sem a indicação correta?

O que fazer para evitar a sensibilidade na pele?

A boa notícia é que dá para prevenir esse problema e usar o ácido salicílico sem se preocupar com a pele sensível. Basta consultar um dermatologista para pedir a indicação correta do ácido, além de associar o tratamento com o uso de produtos que reparem a barreira cutânea e promovem a retenção de hidratação na pele. Outra solução é aplicar essa substância em dias alternados. Assim, é possível driblar a sensibilidade!

*Ficou com dúvidas? Procure o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e agende uma consulta!