Na luta contra a acne, o ácido salicílico é uma das armas mais potentes. Além de prevenir o aparecimento de mais cravos e espinhas, o ativo ainda trata as lesões já existentes e controla o excesso de oleosidade no rosto. Mas uma das dúvidas mais frequentes entre quem usa esse ácido é se ele pode ser usado durante o dia, ou se é fotossensibilizante. Para entender um pouco mais sobre o assunto, o DermaClub conversou com a dermatologista Carolina Marçon, que esclareceu a questão. Confira!

Para que serve o ácido salicílico?

O ácido salicílico é um beta-hidroxiácido com inúmeros benefícios para a pele oleosa: ele é antimicrobiano, tem propriedades esfoliantes, seborreguladoras… E por aí vai! Segundo a Drª Carolina, “É uma substância muito efetiva no tratamento da acne e age em várias frentes, tem ação queratolítica e anti-inflamatória, ação adstringente, entre outros”. Em resumo, ele tem o poder de diminuir as lesões e marcas de acne, além de controlar a oleosidade e ajudar na renovação celular.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

No entanto, não é qualquer paciente que pode usar o ácido salicílico - é essencial avaliar o seu caso junto ao dermatologista. “É muito importante que o paciente seja muito bem avaliado, para que seja verificada a característica da acne e indicado o tratamento correto. Aí, o dermatologista vai analisar a resposta, e se ela não for boa ou acontecer recidiva, também fazer alguma intervenção para melhorar isso”, explicou a médica.

Ácido salicílico pode ser usado durante o dia?

Quando se trata de tratamentos com ácidos para a pele, é sempre importante avaliar se a substância não é fotossensibilizante - isto é, se ela deixa a pele mais sensível quando exposta ao sol. No caso do ácido salicílico, a Drª Carolina afirma que sim. “Não é indicado utilizá-lo e se expor diretamente ao sol”, afirmou. Assim, um dermocosmético com ácido salicílico pode ser administrado durante o dia apenas caso o paciente não se exponha ao sol. “Para um paciente que não se expõe, ele pode, sim, ser usado de manhã”, completou. No entanto, é essencial lembrar que o uso do protetor solar é obrigatório, de preferência com FPS acima de 50 e com ação química e física.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.