A acne é estimulada por diferentes fatores, como o aumento da secreção sebácea e a alteração na queratina da pele. O quadro é muito comum na adolescência e puberdade por conta da produção hormonal diferenciada durante esse período. Pensando nisso, o DermaClub conversou com a dermatologista Tatiana Matos, de Salvador, Bahia, que explicou como as espinhas se desenvolvem no jovem, quais os tratamentos e como é possível evitar o surgimento de manchas. Acompanhe!

Saiba o que estimula o surgimento da acne e por que é tão comum durante a adolescência

Segundo a médica, existem quatro fatores responsáveis pela formação da acne:

- Aumento da secreção sebácea;

- Colonização pela bactéria Propionibacterium acnes ;

- Liberação de mediadores de inflamação, que são substâncias que influenciam diretamente o processo no organismo;

- Alteração na queratina existente na pele.

As espinhas podem surgir em qualquer pessoa, porém, o quadro mais crítico é mais comum em quem tem predisposição genética. “Por volta dos sete anos de idade, os hormônios androgênicos estimulam as glândulas sebáceas e as células chamadas queratinócitos. Isso gera aumento da produção de sebo e de queratina, que obstrui a drenagem da glândula e leva aos chamados cravos e, posteriormente, inflamação e formação de espinhas”, explicou.

Descubra como é feito o tratamento da acne em adolescentes

De acordo com a dermatologista, o tratamento direcionado pelo médico vai depender do grau em que a doença se encontra. “Sabonetes e filtros solares específicos são o básico, além disso, também indicamos produtos de uso tópico para combater os sintomas. Quando nos deparamos com casos mais intensos, podem ser usados antibióticos via oral, tratamentos com hormônios e até isotretinoína. Existem também tratamentos como laser, peelings e terapia fotodinâmica”, esclareceu, afirmando que há muitas novidades surgindo sobre a doença e isso poderá influenciar no surgimento de novos tratamentos.

Por se tratar de jovens, Dra. Tatiana explica que é preciso ter cuidado com determinados tratamentos. “A isotretinoína, por exemplo, é uma medicação que exige muito cuidado por parte do paciente e, muitas vezes, o adolescente não consegue assumir esse compromisso”, atentou.

Dermatologista explica como é possível evitar as manchas de acne

Para a médica, é muito comum que lesões de acne, ao melhorarem da inflamação, deixem na pele uma hiperpigmentação residual. “Para evitar esse tipo de reação é preciso higienizar a pele diariamente, usar esfoliantes, ácidos e produtos que diminuam a proliferação da bactéria e a hiperqueratinização folicular - que bloqueia o folículo e a glândula sebácea, levando ao cravo e, em seguida, à espinha”, recomendou a médica, indicando que os responsáveis pelo jovem acompanhem o tratamento para que se obtenha sucesso nos resultados.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.