É comum tomar drinks em comemorações, festas, barzinho com os amigos ou em jantares especiais. Mas, você já parou para pensar nos danos que as bebidas alcoólicas podem causar à pele? Em conversa com a dermatologista Tatiana Matos, de Salvador, Bahia, o Dermaclub descobriu que o excesso de álcool no organismo favorece, principalmente, o envelhecimento precoce.

Por que a bebida alcoólica causa ressecamento na pele?

Para a médica, o primeiro dano que o álcool causa à pele é o ressecamento. Isso porque é preciso metabolizar corretamente a bebida e, nesse processo, perde-se água de tecidos corporais, como a pele. Então, é essencial beber água entre um copo e outro! “De qualquer forma, é preciso cuidado com o consumo excessivo, já que ele implica diretamente no aumento da formação de radicais livres”, disse.

Perda de viço, rugas e vermelhidão são alguns dos efeitos do álcool na pele

Com a desidratação e a produção dos radicais livres em alta, os principais efeitos observados são a falta de luminosidade, perda de viço e firmeza, vermelhidão, além do aparecimento de rugas e linhas finas a longo prazo. “Quem tem pele oleosa ainda pode ser afetado, porque os poros tendem a ficar ainda mais abertos, deixando o rosto inchado. Já para pacientes com rosácea também sugiro que evitem opções fermentadas, como cerveja e vinho, que favorecem a dilatação dos vasos capilares, conferindo vermelhidão e sensibilidade”, recomendou.

O que acontece na pele quando interrompemos o consumo de bebidas alcoólicas?

Se você quer manter a pele saudável, evitar beber cerveja, vinho ou drinks em excesso é um dos primeiros passos. “Depois disso, o sistema imunológico fica mais forte, e a pele também volta a ficar mais luminosa e hidratada”, contou.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.