Fazer o cabelo crescer mais rápido é o desejo de muitas mulheres! Porém, é importante entender que o ciclo de crescimento dos fios depende de uma série de fatores: genética, estilo de vida, uso de produtos, entre outros. De acordo com a dermatologista Christiane Gonzaga, do Rio de Janeiro, o fio de cabelo pode crescer cerca de um centímetro ao mês - 12 centímetros por ano. No entanto, com uma alimentação saudável e a escolha dos nutrientes certos, é possível dar uma ajudinha nesse processo. O DermaClub, junto com a profissional, esclarece como fazer o seu "projeto Rapunzel" alavancar através da educação alimentar. Veja só!

Por que, às vezes, o cabelo demora a crescer?

Na verdade, não é que o seu cabelo está demorando a crescer, mas alguns problemas podem estar dando a impressão que os fios não estão aumentando de tamanho. A médica explicou: “Quem costuma tingir e alisar, fazer escova ou chapinha, ir à praia ou à piscina com frequência pode reclamar que as madeixas não crescem. Mas elas crescem, sim - o problema é que arrebentam com facilidade”, garantiu.

Caso esses fatores não aconteçam com você, a saída é consultar um dermatologista para fazer uma análise mais a fundo. “O profissional deve levar em consideração a alimentação, o nível de estresse, a intensidade dos exercícios, a qualidade do couro cabeludo e o funcionamento da tireoide. Tudo isso pode desequilibrar o organismo e impactar nos cabelos, que ficam frágeis, quebradiços, sem brilho e ralos, dando a impressão de que não crescem”, atentou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Entenda como a alimentação pode estar relacionada ao crescimento do cabelo

De acordo com a Dra. Christiane, tudo o que ingerimos acaba interferindo diretamente na saúde dos cabelos, seja para ajudar ou prejudicar os fios. “Não basta apenas apostar em produtos e tratamentos para que fiquem bonitos, também é importante adotar uma rotina alimentar equilibrada para que as madeixas cresçam bonitas e saudáveis”, afirmou.

Alimentos e nutrientes que ajudam o cabelo a crescer

Carne, peixe, leite, ovos e iogurte: colaboram para que os fios cresçam mais fortes e bonitos.

Frutos do mar: são alimentos ricos em zinco que estimulam a produção de elastina e colágeno, trazendo resistência às madeixas.

Carnes vermelhas, feijão e vegetais folhosos: ajudam a regularizar o transporte de oxigênio na corrente sanguínea, facilitando a irrigação no couro cabeludo e a chegada dos nutrientes até os cabelos.

Amendoim, avelã e amêndoas: esses alimentos são ricos em vitamina B, por isso, estão diretamente ligados ao crescimento dos cabelos.

Hábitos alimentares que atrasam o crescimento do cabelo

De maneira geral, podemos citar os alimentos ricos em açúcar processado. Segundo a médica, “eles aumentam os níveis de insulina no sangue, potencializando o andrógeno - um hormônio masculino no corpo, que pode irritar e diminuir o tamanho dos folículos, que são responsáveis pela produção de cabelos”, afirmou.

Além disso, também podemos destacar uma alimentação rica em amidos, como pão branco e macarrão, alguns cereais, que são pobres em proteínas e podem deixar os cabelos pouco saudáveis - todos esses alimentos tendem a ter altos índices glicêmicos.

Além da alimentação, o que devemos fazer para o cabelo crescer de forma saudável?

A Dra. Christiane indica alguns cuidados com os cabelos que devemos ter. “É importante manter uma frequência de corte a cada seis meses, evitar o uso excessivo de secadores e chapinhas, adotar uma rotina de lavagem saudável alternando os dias e não dormir com os fios molhados, que podem contribuir para o aumento de fungos e bactérias no couro cabeludo, prejudicando a saúde dos cabelos”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.