A alopecia androgenética é popularmente conhecida como calvície e pode afetar tanto os homens quanto as mulheres. A doença tem como principais sintomas a queda e afinamento do cabelo. Quer entender mais sobre as características da patologia e quais os melhores tratamentos? Fique atenta às dicas da dermatologista Christiane Gonzaga, do Rio de Janeiro!

Saiba o que é a alopecia androgenética e quais são os seus sintomas

Segundo a médica, a alopecia androgenética é caracterizada pela perda de grande quantidade de cabelos, deixando áreas do couro cabeludo visíveis. Além disso, ela não é exclusiva dos homens, afetando cerca de 5% das mulheres. “A alopecia é uma calvície, tendo como sua principal causa a condição genética. Entre os sintomas estão o afinamento dos fios do cabelo, que se tornam mais ralos. Nas mulheres, a região mais afetada é a parte central da cabeça”, explicou.

A alopecia androgenética tem cura?

De acordo com a dermatologista, por ser uma doença de origem genética, a alopecia androgenética não tem cura. Porém, é possível controlar os níveis e até reverter alguns quadros, respeitando o uso de medicação constante. No entanto, o primeiro passo, ao identificar os sintomas é buscar acompanhamento médico para tratar de forma adequada.

Conheça os tratamentos recomendados para a alopecia androgenética

Para a Dra. Christiane, entre os tratamentos recomendados, estão os estimulantes do crescimento dos fios e bloqueadores hormonais, que ajudam a diminuir o processo da queda. “Para as mulheres, também podem ser indicados o uso de anticoncepcionais e medicamentos por via oral, que estimulam nutrientes para o cabelo, aumentando seu crescimento e espessamento”, contou. Além desses, também podem ser utilizados microinjeções de vitaminas, shampoos, loções e transplante capilar.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.