Você já ouviu falar no BB Glow? Trata-se de uma técnica coreana que está fazendo muito sucesso por aí! Na teoria, ela promete deixar a pele uniforme e livre de manchas, graças ao seu efeito de base semi-permanente. No entanto, existe uma polêmica ao redor do procedimento e alguns dermatologistas não o recomendam. Quer saber por quê? O DermaClub conversou com a especialista Carolina Marçon, de São Paulo, que esclareceu os principais riscos do BB Glow.

O que é o BB Glow? Entenda como funciona essa técnica coreana

Essa é uma técnica que está dando o que falar nos consultórios dermatológicos! De acordo com a Drª Carolina, “o procedimento original usa um roller de microagulhamento com agulhas de 0,25 milímetros - que é bem superficial - injetando pigmentos de extratos vegetais ou de maquiagem para dar esse efeito base na pele”, esclareceu.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

O BB Glow nem sempre é feito de forma segura

Segundo a Drª Carolina, o procedimento muitas vezes não tem sido feito de forma segura aqui no Brasil. “O BB Glow vem sendo realizado com uma agulha mais profunda e com pigmentos que não têm nenhum tipo de aprovação pela Anvisa. Além disso, não sabemos a origem de muitas dessas substâncias que têm causado reações na pele dos pacientes”, alertou. Dessa forma, é essencial sempre consultar o seu dermatologista antes de fazer qualquer procedimento estético.

Quais os riscos do BB Glow ao ser realizado de forma inadequada?

Alguns pacientes acabam tendo reações alérgicas às substâncias e como a pigmentação é muito difícil de remover, pode acabar piorando o problema ao longo do tempo. Embora a técnica tenha a proposta de deixar a pele mais brilhosa, uniforme e radiante, em alguns casos os profissionais estão usando pigmentos não regulamentados que podem trazer todos esses problemas para a pele.

Além disso, a dermatologista ressalta que o BB Glow também tem sido realizado em locais impróprios, como salões de beleza e outros lugares sem uma higiene apropriada. “Isso é muito arriscado, porque a partir do momento que você fura a pele com a agulha, a região está aberta para todo o tipo de infecção, dermatite e na formação de cicatrizes, ou seja, algo que você pretendia melhorar, pode acabar piorando com o procedimento”, concluiu.

Por isso, antes de se aventurar em qualquer procedimento estético, peça sempre a opinião do seu dermatologista.

Existem alternativas que deixem a pele com efeito de base?

Hoje em dia, de forma semi-permanente, só o bronzeamento a jato pode garantir um efeito meio parecido. No entanto, nem todo mundo procura um efeito bronzeado para a pele, certo?

Para ter uma pele perfeita, uniforme e livre de manchas, é preciso começar uma rotina de cuidados com a pele regrada, com produtos específicos para cada problema - olheiras, cicatrizes de acne, melasma… Assim, a longo prazo, você conseguirá efeitos permanentes e de forma muito mais saudável para a sua pele.

Além disso, mesmo com um tratamento que deixe a sua pele aparentemente maquiada, é preciso usar o protetor solar todos os dias! Então, já que esse passo não pode ser pulado na rotina, que tal aplicar um filtro com cor? Caso o seu protetor não tenha cor, a dica é investir em um pigmento específico, como o Color Dose de La Roche-Posay.

Dicas de uso:

- Anthelios Airlicium FPS 70 com cor, de La Roche-Posay
- Color Dose, de La Roche-Posay

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.