Câncer da pele é um assunto que muita gente evita, mas que precisa ser falado para ressaltar a importância da sua prevenção e, principalmente, do seu diagnóstico precoce. Embora haja muitas informações sobre o assunto, esse tipo de câncer continua sendo o mais frequente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Pensando nesses números e em esclarecer algumas dúvidas, o DermaClub entrevistou a dermatologista Tatiana Matos, de Salvador, a fim de explicar os mitos e verdades da doença. Confira!

A luz visível pode causar câncer da pele: mito ou verdade?

Nem mito, nem verdade. De acordo com a médica, ainda existem muitas controvérsias a respeito desse tema: “Alguns estudos ainda estão em andamento para definir o potencial carcinogênico da luz visível. Mas, sem dúvidas, a radiação mais relacionada ao câncer de pele é a UVB - emitida pelos raios solares - sendo a maior vilã quando se trata desse tema”, esclareceu.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Câncer da pele é genético: mito ou verdade?

Verdade. “Se sabe que certos casos de câncer da pele, ao exemplo do melanoma, têm maior incidência familiar, o que torna alguns genes responsáveis pela fragilidade do DNA da célula frente aos danos provocados pelos raios solares”, atentou a Dra. Tatiana. Por isso, a maior prevenção para pessoas que possuem histórico genético desta doença, é usar o filtro solar, fazer o autoexame de pele e visitar regularmente o seu dermatologista para o acompanhamento de sinais e manchas.

O sol do inverno pode causar câncer da pele: mito ou verdade?

Verdade. A dermatologista conta que apesar da baixa temperatura e dos dias mais nublados, essa época do ano também possui seus riscos. “No inverno ainda existem as radiações solares que causam dano ao DNA celular, em menor grau que no verão, mas ainda assim existe”. Sendo assim, nada de abrir mão do filtro solar nesse tempo!

O câncer da pele pode surgir nas região não expostas: mito ou verdade?

Verdade. O câncer da pele pode surgir em qualquer área do corpo. “Um exemplo é o que surge nas cicatrizes prévias ou queimaduras - chamado de carcinoma espinocelular. Outro casos é o tão temido melanoma, que pode surgir nas palmas das mãos e plantas de pés que são áreas menos expostas à radiação solar”, atentou.

Somente o uso do filtro solar previne a pele do câncer da pele: mito ou verdade?

Parcialmente verdade. O filtro solar é um grande aliado no combate ao câncer da pele, porém ele não confere total proteção contra os danos ao DNA da célula. “Por isso, além do produto, o paciente deve evitar o sol mesmo com filtro nos horários de maior radiação ultravioleta e utilizar barreiras físicas, como chapéus e bonés quando estiver exposto.”, ressaltou.

O melanoma e câncer da pele são doenças diferentes: mito ou verdade?

Mito. Na verdade, o melanoma é um tipo de câncer da pele - o mais temido. Mas, existem tipos mais comuns, como carcinoma basocelular e espinocelular e ainda outros, no caso do sarcomas, linfomas e tumores de glândulas. É importante ressaltar que para prevenir todos esses casos, o essencial é usar o filtro solar todos os dias, reaplicá-lo a cada 2 horas, fazer o autoexame de pele com frequência e ir ao dermatologista regularmente. Sua pele agradece!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.