O câncer da pele é a principal causa de tumores malignos no Brasil (25%) de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Mas você sabe o que é e como ele acontece? De acordo com a Dra. Juliana Neiva, do Rio de Janeiro, o diagnóstico precoce é muito importante para a recuperação do paciente. Ela ressalta, ainda, que o uso do protetor solar é imprescindível para a prevenção de novos casos. “A fotoproteção serve para todos, ainda mais em um país tropical como o nosso”, afirmou.

Descubra quais são os fatores que podem causar o câncer de pele

- Exposição solar direta;
- Histórico de câncer de pele na família;
- Histórico pessoal (tumores de pele no passado);
- Idade (mais comum em adultos);
- Cigarro (exposição ao arsênico e alcatrão);
- Exposição à radiação ionizante (usada em raios X e na esterilização de materiais hospitalares).

Confira quais são os tipos de câncer de pele

- Carcinoma basocelular
Esse tipo de câncer é o mais frequente e atinge as camadas profundas da pele. "O carcinoma basocelular pode atingir qualquer área, mas na maioria das vezes aparece no rosto, no lóbulo da orelha e no nariz", explicou a dermatologista. Apesar de ser o mais prevalente no Brasil, a letalidade dele é a mais baixa.

- Carcinoma espinocelular
É o segundo câncer mais frequente e acomete as células das camadas superiores da pele. Ele também pode se desenvolver em todas as partes do corpo, mas é mais comum em locais expostos com frequência ao sol.

- Melanoma
O câncer do tipo melanoma é o menos comum, mas o mais perigoso. Segundo a Dra. Juliana, ele pode resultar em uma metástase - quando células cancerígenas caem na corrente sanguínea e espalham-se para outros órgãos - e exige uma inspeção muito ativa. Quando há o diagnóstico precoce, as chances de cura passam dos 90%.

Entenda como acontece o tratamento do câncer da pele

A escolha do tratamento de tumores de pele depende diretamente do diagnóstico de um especialista. "É importantíssimo que esse acompanhamento seja feito por um médico membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ele é quem vai definir isso", alertou a dermatologista. A remoção do tumor pode ser feita através de cirurgias, do uso de ácido 5-aminolevulínico e até mesmo do laser.

Veja como se proteger do sol sem perder nutrientes

Expor-se ao sol é essencial para a absorção de vitamina D e não é preciso se esconder dele para se proteger contra o câncer. “A Sociedade Americana de Dermatologia diz que, para haver a produção de vitamina D, 15 minutos de banho de sol em uma extensão de braço e perna é o suficiente”, afirmou a médica.

O horário mais perigoso para se expor ao sol é de 10h às 16h, período em que os raios UVB estão mais concentrados, eles são os causadores de queimaduras e também grandes responsáveis pelo câncer de pele. Já os raios UVA são constantes ao longo do dia e são o principal causador do fotoenvelhecimento. A dermatologista ressalta ainda que os malefícios causados pela exposição solar se acumulam ao longo dos anos. “O filtro é um excelente agente pra prevenir que isso aconteça, principalmente para quem tem predisposição genética à doença”, afirmou.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.