A caspa é um problema bem comum entre as pessoas. A formação das casquinhas brancas e descamativas que podem causar bastante coceira no couro cabeludo, é um dos principais sintomas da dermatite seborreica, nome dermatológico da caspa que acaba afetando diretamente o bem-estar e a saúde de todos que apresentam a patologia. Mas como podemos tratar esse problema? Existe cura para a caspa? Como essas descamações surgem? O DermaClub realizou uma pesquisa para esclarecer todas essas dúvidas. Se você tem caspa e quer controlar esses incômodos, veio ao lugar certo!

1. O que é caspa?

A caspa, nada mais é, do que o nome popular que damos ao quadro da dermatite seborreica no couro cabeludo - uma inflamação acompanhada por descamação branca e, por vezes, um pouco amarelada que pode causar muita coceira, manchas vermelhas, irritação e feridas. De acordo com o Hospital Israelita Albert. Einstein, mais de 2 milhões de casos são diagnosticados por ano só no Brasil.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

1.2. Dermatite seborreica é a mesma coisa que caspa?

Na verdade, um problema se desenvolve com a ajuda do outro: a caspa é o nome dado à descamação que surge nos quadros de dermatite seborreica. O quadro se desenvolve a partir da predisposição familiar e pessoal, do aumento na produção de sebo e através de fungos, que colaboram para a inflamação da região.

1.3. Onde a dermatite seborreica pode aparecer?

Esse tipo de dermatite pode surgir em várias regiões do corpo, principalmente onde a pele tem mais tendência à oleosidade:

Couro cabeludo;
Sobrancelhas;
Pálpebras;
Vincos do nariz;
Lábios;
Atrás e dentro da orelhas;
Tórax.

2. O que causa a caspa?

2.1. Conheça os sintomas

- Descamações brancas na região;
- Escamas amarelas oleosas;
- Coceira, que pode piorar com a manipulação;
- Vermelhidão;
- Perda de cabelo.

2.2. Fatores que motivam a caspa

Oleosidade excessiva no couro cabeludo;
Genética;
Estresse;
Lavar a cabeça com água quente;
Uso frequente de chapéus;
Acúmulo de cremes e produtos no couro cabeludo;
Higienização incorreta da região ;
Proliferação do fungo Pityrosporum ovale.

3. Como podemos prevenir a caspa?

3.1. Maneiras de prevenir a caspa:

- Evite usar água muito quente para lavar o couro cabeludo;
- Use shampoos com ativos seborreguladores, como a piroctona olamina e ácido salicílico;
- Aplique o condicionador e máscaras de hidratação apenas no comprimento do cabelo, evitando o couro cabeludo;
- Evite o uso frequente de chapéus e bonés;
- Lave o cabelo, pelo menos, em dias alternados;
- Enxágue os fios com água morna ou fria;
- Evite situações de estresse e ansiedade.

4. A caspa tem cura?

É importante ressaltar que esta é uma doença crônica, ou seja, não tem cura. A notícia boa é que tem tratamento com o uso de dermocosméticos e outros medicamentos.

4.1. Como tratar a caspa?

Shampoo anticaspa;
Lave o cabelo, pelo menos, em dias alternados;
Uso tópico de corticoides;
Casos mais intensos podem ser tratados com remédios orais, como os probióticos.

5. Mitos e verdades sobre a caspa

5.1. A dermatite seborreica pode causar a queda de cabelo?

Verdade! A dermatite seborreica pode causar a queda dos fios e isso se deve ao quadro inflamatório do couro cabeludo. Esse quadro também pode piorar com a falta de higiene do cabelo, que vem acompanhada com o receio da perda dos fios.

5.2. O estresse pode causar caspa?

Verdade! O estresse proporciona um desequilíbrio hormonal em todo o organismo, e isso acaba agravando ou gerando o aumento de oleosidade da pele e, em sua extensão, o couro cabeludo.

5.3. A caspa surge quando não lavamos o cabelo?

Mito! A caspa costuma aparecer em áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas, fazendo com que a oleosidade produzida na região crie um ambiente propício para o desenvolvimento da doença. Isso significa que a falta de higiene agrava o quadro, mas não é causadora do problema.

5.4. A caspa só pode surgir no cabelo

Mito! É possível ter dermatite seborreica em todas as regiões onde temos grande distribuição e atividade das glândulas sebáceas: couro cabeludo, face, região do tórax, axilas e virilha.