Tão ruins quanto as espinhas, só mesmo as cicatrizes que essas lesões deixam na pele. A acne já é um grande incômodo quando surge na adolescência, mas o problema se torna ainda mais preocupante quando ela se estende até a vida adulta. Independentemente do seu grau, a questão é que a acne, além de afetar a nossa imagem e a nossa auto-estima, ainda pode deixar marcas - das superficiais até as mais profundas - se não tiver o devido cuidado. A boa notícia é que para cada cicatriz existe um tratamento mais apropriado. Quer saber como dar um fim nesses incômodos? Tudo isso e muito mais o DermaClub explica para você com ajuda da dermatologista Carolina Zaparoli, de São Paulo.

1. O que são cicatrizes de acne e como elas são formadas?

As cicatrizes de acne não surgem à toa. De acordo com a dermatologista a maior causa desse problema está diretamente relacionada com a manipulação das espinhas. Esse gesto, Ao contrário do que se pensa, não dá um fim à lesão, mas acaba piorando o caso, causando a piora do quadro inflamatório e evitando que a ferida se regenere corretamente.

Além disso, outro motivo que pode causar essas marcas no rosto é o grau de severidade da lesão de acne. Se o paciente tiver entre os graus 3 e 5, ele tem grandes chances de ficar com alguma cicatriz devido à gravidade do problema.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2. Quais são as características de uma cicatriz de acne?

As cicatrizes de acne Podem ter diferentes aspectos, mas são sempre aquelas marquinhas indesejadas na pele que se formam após termos tido as lesões da acne. Por outro lado a médica explica que essas marcas podem se apresentar de várias formas, muitas vezes bem profundas e com manchas. Com isso, ela ressalta: “O tratamento varia muito em um mesmo paciente e, dependendo dos tipos, é possível fazer um planejamento para que o resultado do tratamento tenha sucesso!”

3. Graus de acne que podem causar cicatriz

Segundo a médica, quadros mais leves de acne ou quando são tratadas adequadamente possuem um risco menor de ficar com sequelas. Já aquelas com grau 3 a 5 podem deixar cicatrizes na pele. Entenda melhor:

Grau 3: cravos, pápulas e pústulas (lesões com pus);
Grau 4: além das características acima, possui cistos e nódulos (lesões maiores e com grande saída de secreção);
Grau 5: todas as características citadas + grande processo inflamatório na pele, com possibilidade de febre e mal estar.

4. Causas de uma cicatriz de acne

- Manipular as lesões;
- Acnes do grau 3 até o 5;
- Não seguir o tratamento recomendado pelo dermatologista;
- Exposição solar excessiva sem o uso do protetor.

5. Conheça os tipos de cicatrizes de acne

Atróficas: são aquelas com formato de buraquinhos na pele.

Hipertróficas: parecem estar inchadas e sobressaem na pele.

6. É possível corrigir totalmente essas lesões?

Vai depender muito do caso. Mas a profissional garante que a maioria dos pacientes, mesmo aqueles com cicatrizes mais graves, consegue responder bem aos tratamentos. É importante que todos os procedimentos sejam indicados por um dermatologista de acordo com o tipo de lesão.

7. Tratamentos para cada tipo de marca de acne:

7.1. Cicatrizes atróficas

De acordo com a especialista, as marcas atróficas mais superficiais e acabam respondendo melhor aos tratamentos que têm a função de renovar a pele, como:

- Peelings médios (químicos ou com aparelhos - laser, luz intensa, radiofrequência);
- Microagulhamento sozinho ou associado a estimuladores de colágeno;

Já as de profundidade média podem melhorar com técnicas combinadas:

- Subcisão (levantamento da pele com agulha);
- Peeling médio com abrasão mecânica ou com aparelhos de laser;
- Radiofrequência (com ou sem associação de princípios físicos entre os aparelhos);
- Técnica de CROSS (colocação de ácido super forte para renovar a pele, que causa inflamação e estimula a formação de colágeno para levantar a cicatriz) e complementação com preenchedores.

7.2. Cicatrizes hipertróficas

A Drª Carolina explica que as cicatrizes hipertróficas são aquelas que podem se apresentar muito ou pouco elevadas. “Quando muito elevadas, geralmente retiramos cirurgicamente o excesso e depois continuamos com outros métodos”.

Em algumas cicatrizes, é necessário entrar com outros tratamentos: “Como a infiltração de corticóide, congelamento com nitrogênio líquido, reorganização do colágeno através de microagulhamento ou aparelhos de laser tentando ‘nivelar’ a cicatriz para depois então tentar melhorar”.

De qualquer forma, o melhor tratamento para as cicatrizes é detectar precocemente se a acne está começando a evoluir para deixar essas marcas, mesmo que muito superficiais, e tratá-las de forma objetiva e efetiva!

8. Dermocosméticos que ajudam a atenuar as cicatrizes de acne

- Géis ou cremes esfoliantes;
- Máscaras faciais com efeito peeling;
- Dermocosméticos contendo ácidos como: ácido glicólico, ácido salicílico, ácido dióico, LHA, sozinhos ou associados para uma ação potencializada;
- Fórmulas clareadoras contendo ácido tranexâmico, ácido glicólico, ácido kójico e ácido fítico, quando houver cicatrizes escurecidas;
- Dermocosméticos contendo Vitamina C.

9. Como prevenir as marcas de acne?

A melhor forma de prevenir as cicatrizes de espinhas é controlando a própria acne. “A presença das lesões de acne significa que sua pele está inflamada e a inflamação reduz a eficácia do tratamento das cicatrizes e espinhas. Além disso, se houver infecção local, a bactéria pode contaminar e infectar a área a ser tratada resultando em quadros muito graves”, atenta.

Para evitar que algo mais grave aconteça, é importante se consultar com um dermatologista para procurar o tratamento apropriado para o seu tipo de acne.

10. Cuidados que podem ajudar nessa prevenção:

- Remover a maquiagem com solução micelar;
- Lavar o rosto duas vezes ao dia com sabonete específico para a pele acneica;
- Usar um tônico adstringente para limpeza profunda dos poros;
- Usar um produto antiacne recomendado pelo dermatologista;
- Aplicar diariamente filtro solar com toque seco e função antiacne ou antioleosidade;
- Borrifar ao longo do dia um spray antioleosidade para controlar a produção de sebo;
- Visitar o seu dermatologista regularmente para controlar o problema.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

**Essa matéria foi atualizada no dia 22 de Julho por Lívia D'Ambrosio