Motivo de incômodo para algumas pessoas, mas, considerado algo natural por outras, as estrias são cicatrizes causadas pela ruptura das fibras elásticas e de colágeno na pele. Elas podem surgir em qualquer fase da vida e, muitas vezes, decorrentes da falta de hidratação. Para quem não deseja ter essas marquinhas, uma boa notícia: é possível evitá-las praticando alguns cuidados diários. O DermaClub conversou com a dermatologista Christiane Gonzaga, do Rio de Janeiro, que listou formas de prevenir as estrias:

Entenda como as estrias surgem e em quais lugares do corpo são mais comuns

Segundo a médica, as estrias surgem a partir de um processo inflamatório. Não é à toa que as marcas começam como linhas vermelhas. “O organismo passa a produzir um colágeno mais espesso e a marca fica semelhante à uma cicatriz com coloração perolada e a melanina, pigmento que dá cor à pele, desaparece”, explicou. Além disso, elas são bastante comuns na região do quadril, seios, barriga, podendo atingir braços e costas.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Evite o surgimento de estrias investindo na hidratação da pele e em outros hábitos

Para prevenir o surgimento dessas cicatrizes, é muito importante manter o corpo sempre hidratado. Por isso, a Dra. Christiane indica: “Beba cerca de dois litros de água por dia, cuide da pele com dermocosméticos hidratantes indicados pelo dermatologista - é muito importante consultar esse profissional para que ele avalie a localização, quantidade e perfil das estrias e da pele da pessoa para indicar os produtos necessários”, reforçou.

Além disso, a médica recomenda praticar exercícios físicos regularmente, evitar a ingestão de doces, gorduras, sal em excesso e investir em uma alimentação balanceada, incluindo frutas, legumes e verduras.

Conheça os tratamentos para minimizar as estrias

De acordo com a dermatologista, a maioria dos tratamentos visa a renovação da pele e o aumento da produção de colágeno, além disso, o resultado é melhor em estrias recentes. “A esfoliação, por exemplo, serve para fazer a descamação da pele superficial, promovendo o crescimento de uma nova. O ritual também aumenta o estímulo para formação de fibras de colágeno e elastina, melhorando a qualidade da pele na região”, explicou.   

Outra forma é o uso de dermocosméticos com ácidos graxos insaturados e ativos como o ácido retinoico, que auxiliam a produção de colágeno e melhoram elasticidade da pele. “Também podemos contar com o auxílio de aparelhos de radiofrequência, ou lasers, além de peelings e até subcisões - separação, com uma agulha específica, do tecido da pele na área afetada a partir do tecido mais profundo da estria”. No entanto, é importante lembrar que esses tratamentos mais específicos devem ser avaliados pelo dermatologista.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.