Durante o verão, nosso corpo fica mais exposto à radiação solar e quem tem tatuagem costuma se preocupar com os efeitos do sol na pele. Além de correr o risco de ficar desbotada, o local pode sofrer alguns sinais de irritação e ficar sensível devido às queimaduras solares. Para descobrir como manter a tattoo bem cuidada, o DermaClub entrevistou a dermatologista Flávia Ravelli, de São Paulo. Confira as dicas!

A pele tatuada muito exposta ao sol pode enfrentar sérias consequências

De acordo com a médica, a pele tatuada também precisa se proteger da exposição ao sol, pois a radiação UV agride os pigmentos do desenho. Com isso, a tattoo acaba desbotando e perdendo a nitidez de forma rápida. “Não podemos esquecer de que a pele tatuada também sofre os mesmos danos que a região sem tatuagem: envelhecimento precoce, desenvolvimento de câncer de pele e manchas”, atentou.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Descubra os cuidados que devemos ter com a área tatuada durante o verão

Em primeiro lugar, é muito importante hidratar bem a pele diariamente. Além disso, a Dra. Flávia acrescenta: “O uso de filtro solar na tatuagem, bem como sua reaplicação com frequência é essencial, dando preferência aos produtos com FPS 50 ou mais”, indicou. Antes de tomar banho de sol, aplique uma camada generosa de protetor sobre a área tatuada e reforce a cada 2 horas ou antes em caso de entrar na água ou transpirar excessivamente.

Se você fez uma tattoo recentemente, é bom evitar a exposição solar durante os primeiros 30 dias. Também é importante manter distância da água do mar ou piscina, pois esses ambientes podem conter impurezas que podem causar infecção no local.

Cuidados extras que devemos praticar para proteger a tattoo

A dermatologista ainda ressalta alguns gestos essenciais que devemos ter nos primeiros dias com a arte na pele: “Na fase inicial, além de limpeza com sabonetes específicos para peles sensibilizadas, é importante usar cremes cicatrizantes e reparadores cutâneos até caírem as crostas”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.