Muito famosa por aparecer entre os dedos dos pés, a micose é uma doença de pele causada por fungos que também podem afetar outras partes do corpo, como o couro cabeludo e áreas de dobras, como a virilha. Embora cause bastante incômodo, você não precisa se preocupar, pois existem soluções bem simples capazes de resolver o problema. A dermatologista Christiane Gonzaga contou ao DermaClub as principais causas, formas de prevenção e as melhores formas de tratar a micose. Veja só!

Entenda melhor o que é a micose e como ela se manifesta no corpo

De acordo com a médica, a micose é causada por fungos que se alimentam da queratina presente em nossa pele, unhas e cabelos. “Quando encontram condições favoráveis, como calor, umidade e baixa de imunidade, estes fungos podem se proliferar, gerando as micoses”, esclareceu. Entre as características da doença, podemos destacar o surgimento de manchas brancas ou vermelhas que causam coceira, com bordas evidentes e, às vezes, formam uma “crosta” no local.

O surgimento desses fungos são mais comuns em áreas de dobras, como axilas, virilhas, entre os dedos das mãos e pés, mas podem se formar em qualquer outra área do corpo. “Quando acometem áreas entre os dedos, por exemplo, acabam causando dor ou fissuras”, atentou

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Você sabe como a micose surge?

As micoses são contagiosas e podem ser transmitidas de uma pessoa para outras ou, até mesmo, em um local público, em que a proliferação de fungos é maior, como banheiros. “Por outro lado, também podem surgir em pessoas que suam excessivamente ou trabalham em ambientes quentes e úmidos; através da má circulação sanguínea; e por conta de lesões ou infecções nas unhas”, esclareceu a dermatologista.

O melhor remédio é a prevenção da micose

De forma geral, é possível evitar a micose colocando em prática alguns hábitos bem simples: “Evite andar descalço, principalmente, em pisos úmidos ou públicos - vestiários, saunas e praias; não use objetos pessoais de outras pessoas - roupas, calçados, pentes, escovas, toalhas de banho ou de rosto; enxugue muito bem o corpo após o banho, principalmente, entre os dedos e em regiões de dobras; prefira meias e roupas íntimas de algodão, pois as fibras sintéticas retêm o suor; e evite ficar com roupas de banho molhadas por muito tempo”, indicou.

Se o problema já estiver instalado, existem opções eficazes de tratamento

Na maioria das vezes, o próprio sistema imunológico consegue combater a doença sem causar qualquer sintoma, mas nem sempre é assim. Por isso, um tratamento específico se torna necessário. “A terapia vai depender do perfil de cada paciente, do tipo de micose e do grau em que ela se encontra. No entanto, de forma geral, é feito com medicamentos antifúngicos, que podem ser de uso tópico ou oral”, garantiu.

A duração do tratamento também vai depender do diagnóstico. Por isso, quando desconfiar da doença, consulte seu médico e evite receitas caseiras que podem piorar ainda mais o problema.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.