Se você já se sentiu desmotivado com o trabalho, excessivamente estressado e tenso, é melhor ligar um alerta: estes podem ser sintomas da Síndrome de Burnout - ou Síndrome do Esgotamento Profissional. Trata-se de um distúrbio psíquico, que é caracterizado pela fadiga física e mental diante da atividade profissional exercida. Para amenizar esses efeitos, o acompanhamento médico é necessário, mas reservar um tempinho na rotina para si mesmo também é essencial.

Sintomas psicológicos e físicos são característicos da Síndrome de Burnout

Muito além do cansaço, os sintomas da Síndrome de Burnout podem incluir agressividade, isolamento, irritabilidade e até mesmo depressão. Dores de cabeça e musculares, lapsos de memória e crises de ansiedade também estão entre os indícios mais comuns e prejudicam muito o desempenho profissional - além das relações interpessoais no trabalho e na vida.

Dessa forma, a tendência é entrar em um ciclo vicioso, no qual, quanto maior a cobrança, mais intensos os sintomas e pior o rendimento. Ficar atento à manifestação desses sinais e recorrer à ajuda profissional é fundamental, mas não suficiente! Na maioria das vezes, mudanças na rotina são também necessárias.

Vencendo a Síndrome de Burnout: cuidar de si mesmo é essencial

O tratamento da Síndrome de Burnout não se limita às sessões de psicoterapia ou ao uso de antidepressivos, mas inclui também um cuidado maior com o bem-estar pessoal. Para isso, atividades físicas, exercícios de relaxamento e práticas como a meditação e o yoga ajudam a controlar a ansiedade e a amenizar os sintomas, além de serem benéficas para a saúde como um todo. E falta de tempo não é desculpa! Além de tornar a sua rotina menos estressante, é importante se conscientizar de que trabalhos desgastantes deixam de valer a pena - ou compensar o salário - quando é a sua qualidade de vida que está em jogo.