Sabe a famosa frase “mas eu sempre usei e nunca deu alergia”? Nem sempre é verdade! O organismo pode passar a ficar incomodado só depois de algum tempo, manifestando a reação alérgica. Além disso, ainda existe o peso da herança familiar, quando os pais já possuem algum tipo de alergia (respiratória ou alimentar) e podem passar para a criança. Em conversa com a alergopediatra curitibana Paula Strachman, o DermaClub buscou saber os motivos das crianças terem mais tendência a serem alérgicas e quais são os tipos mais comuns. Confira!

Crianças possuem maior tendência a desenvolverem reação alérgica

Muitas vezes é complicado diferenciar irritação na pele de uma reação alérgica, sendo o médico o único capaz de fazer essa identificação. A médica afirma que as crianças apresentam maior sensibilidade na pele devido o sistema imunológico ainda não ser completamente desenvolvido e, por isso, são mais suscetíveis, enquanto o adulto já tem um sistema imunológico maduro. Segundo pesquisas, cerca de 5% a 6% das crianças menores de 3 anos desenvolvem alergia a algum tipo de alimento, sendo o mais comum o leite de vaca, com 80% de chance.

Conheça o que causa reações alérgicas nas crianças

De acordo com especialista, a alergia de pele pode estar ligada aos mais diversos fatores. Nesse caso, a idade do paciente é muito importante para o diagnóstico. “Eczemas alérgicos ligados à alimentação, como leite e ovo, são infinitamente mais comuns nas crianças pequenas”, explicou. Coceiras, placas vermelhas e até inchaço também são sinais de reações alérgicas que podem ser causadas não só por alimentos, mas também por produtos usados na pele e fraldas.

Tipos de alergia mais comuns em crianças: saiba quais são!

Existem dois tipos de alergia de pele que são comuns em crianças. A médica conta que a dermatite atópica é, sem dúvida, um dos principais diagnósticos representado pela inflamação cutânea, que geralmente aparece nos braços e atrás dos joelhos, causando coceira intensa. A outra alergia que acontece com frequência é a dermatite de contato, que ocorre devido a irritação da pele com certas substâncias presentes em fraldas, saliva, sabonetes, cosméticos, perfumes e joias.

A criança apresentou reação alérgica? Saiba quais são os tratamentos existentes

O ideal, primeiramente, é procurar por um especialista para a avaliação do problema. A médica explica que, em casos de dermatite atópica, é preciso uma análise aprofundada e sendo de causa alérgica, deve-se afastar o agente causador. “Quando não existe uma causa alérgica clara é preciso fazer uma minuciosa avaliação e um exame clínico para esclarecimento. Após o diagnóstico, começa um tratamento que consiste principalmente na hidratação efetiva, com produtos hipoalergênicos desenvolvidos para o tratamento da pele atópica”, completou.

Como evitar que crianças tenham essas reações alérgicas?

De acordo com a alergopediatra, é possível prevenir essas reações alérgicas usando desde o início produtos dermatológicos adequados para a pele do bebê e, na sequência, manter a utilização de linhas de sabonete suaves e hidratantes específicos para peles sensíveis . Uma boa conversa com seu médico alergista ou dermatologista também vai ajudar na escolha dos melhores produtos.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.