Quando se trata da alimentação de crianças, é comum, principalmente entre mães de primeira viagem, surgirem aquelas dúvidas sobre quais são os melhores nutrientes. Ter filhos que gostam de comer legumes, verduras e frutas não é uma tarefa muito fácil! Mas as bases de alimentação fixadas desde criança são cruciais para determinar o futuro da saúde dos pequenos. Por isso, em entrevista com a pediatra curitibana Sandra Moraes, o Dermaclub buscou entender a importância de manter uma alimentação saudável para os baixinhos. Confira!

Crianças precisam de uma alimentação diferenciada?

Crianças são seres humanos em crescimento e formação, por isso, a pediatra afirma que essa fase possui uma demanda metabólica mais intensa. “A contribuição nutricional é importantíssima para o desenvolvimento adequado dos órgãos e tecidos. Isso porque o corpo precisa de quantidades adequadas de proteína e carboidratos, além de microelementos e suplementação de ômega 3, desde a gestação até os três anos de idade”, explicou. A médica ainda diz que a ausência de nutrição adequada durante a infância pode levar ao desenvolvimento de diabetes e hipertensão na fase adulta.

Indicações para uma alimentação infantil equilibrada

Respeitar a particularidade dos alimentos para cada fase do o crescimento é essencial para o amadurecimento adequado e uma vida adulta mais saudável. Para isso, saiba quais são as indicações da Dra. Sandra para equilibrar as refeições da criança:

- Até o sexto mês de vida, o leite materno deve ser o único alimento do bebê;

- Após os seis meses é permitido inserir frutas e papinhas salgadas na rotina;

- Evite expor a criança ao açúcar até os 2 anos de idade, como balas, doces, refrigerantes e sucos de caixinha;

- Não coloque açúcar nas frutas. Elas já possuem frutose e podem induzir o paladar infantil a preferirem o doce

Alertas: veja as atitudes negativas que influenciam na alimentação infantil

De acordo com a médica, o carboidrato também é um vilão para as crianças se consumido em excesso e, aliado ao sedentarismo, contribui para o desenvolvimento da obesidade. “Hoje, poucas crianças correm e brincam livremente, o que proporciona uma maior tendência ao sedentarismo. As bolas, cordas e bicicletas foram substituídas pelos tablets, videogames e smartphones”, afirmou. A pediatra ainda alerta sobre o excesso de sódio, corantes e conservantes presentes nos alimentos apresentados precocemente as crianças. É necessário o cuidado redobrado dos pais, que devem prezar pelas refeições mais naturais possíveis, como sopas feitas em casa com menos sal, e sim outros temperos que podem cooperar no desenvolvimento do paladar infantil.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.