O método de redução da gordura corporal do momento é a criolipólise, já que a promessa de reduzir medidas com um tratamento não invasivo encheu os olhos de muitas mulheres. Mas o processo é seguro? Existem contraindicações? O DermaClub conversou com a dermatologista Lilian Ota, que realiza o procedimento em sua clínica em São Paulo, e explicou como é o procedimento, quem pode fazer e se os resultados são eficazes. Confira!

Saiba o que é a criolipólise e como funciona o tratamento

Segundo a médica, a criolipólise é um método similar à lipoaspiração, já que age na redução da gordura corporal. No entanto, possui um grande diferencial: não é invasivo. “O tratamento age através do congelamento controlado à vácuo, que destrói as células de gordura e as elimina juntamente com as gorduras que estão em seu interior”, explicou, afirmando que o procedimento pode ser realizado em coxas, abdômen, nos flancos - região lateral do abdômen -, tórax posterior e nos braços.

É possível perder até 30% de gordura corporal no local em que uma única sessão foi realizada

Depois do procedimento, a gordura congelada vai deixando o organismo. “Os resultados finais podem demorar até 3 meses após a criolipólise. Em geral, homens e mulheres que realizam o tratamento podem perder de 20 a 30% de gordura na área tratada em apenas uma sessão”, disse, afirmando que o percentual corresponde a cerca de quatro a seis centímetros nas medidas do paciente.

Descubra quais são as contraindicações do método

De acordo com a especialista, o tratamento não deve ser realizado em mulheres grávidas e que estejam amamentando, pessoas com distúrbios de coagulação sanguínea, doenças relacionadas ao frio - como a urticária -, ou sistêmicas graves - como lupus eritematoso -, dermatomiosite e diabetes não controlada, pessoas que fizeram cirurgias recentes nas áreas a serem tratadas e os portadores de câncer.

Entenda como devem ser os cuidados antes e depois das sessões

A dermatologista explicou que não há necessidade de alterar as rotinas desportivas ou alimentares durante o tratamento. “Antes da sessão, é importante evitar bebidas alcoólicas e medicações com ação anticoagulante, como o ácido acetilsalicílico, por exemplo. As recomendações para depois da realização do método são para evitar saunas, massagens, piscinas e banhos muito quentes durante 24 horas. Além disso, é preciso preservar o corpo de atividades físicas e bebidas alcoólicas por 48 horas”, esclareceu.

Dermatologista alerta para os riscos do tratamento mal executado

Para a médica, a criolipólise é um método seguro e não existem riscos para o paciente desde que, além dos equipamentos adequados, o tratamento seja feito por um profissional especializado e bem treinado. “É muito importante verificar o equipamento utilizado, pois, no Brasil, existem inúmeros ineficazes, em que é prática comum a reutilização da manta gel-protetora, provocando, assim, queimaduras graves”, alertou, aconselhando aos interessados que conversem com um dermatologista capacitado a esclarecer todas as dúvidas sobre o método e também sobre o aparelho.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.