Com a chegada do verão, o excesso de pelos pode incomodar algumas mulheres, já que durante essa estação do ano, o corpo costuma ficar mais exposto. Hoje em dia, existem várias técnicas de depilação para acabar com esse problema - das mais tradicionais, como a lâmina, às mais avançadas, como o laser. Para saber tudo sobre o assunto, o DermaClub reuniu um guia sobre alguns dos métodos de depilação mais famosos. Confira!

1. Quais os cuidados que devemos ter com a pele antes da depilação?

Antes da sessão de depilação, independentemente do método escolhido, é essencial cuidar da pele para evitar que surjam complicações após o procedimento. Além das indicações específicas para cada técnica - como raspar alguns dias antes, no caso do laser -, é importante seguir alguns passos genéricos, tais como:

- Hidratar bastante, para fortalecer a barreira de proteção cutânea e evitar a sensibilidade;
- Esfoliar a pele suavemente, para remover as células mortas e possíveis pelos encravados;
- Aplicar protetor solar nas áreas expostas pelo menos 30 minutos antes de sair de casa.

2. Quais os métodos de depilação mais conhecidos?

Hoje em dia, existem inúmeros métodos de depilação, todos eles válidos e muito adotados no mundo inteiro. Cada vez mais, os procedimentos que visam acabar definitivamente com os pelos têm sido mais procurados, no entanto, os tradicionais continuam sendo muito usados. Confira abaixo alguns dos mais conhecidos.

2.1. Métodos definitivos

Laser: a depilação a laser vem fazendo cada vez mais sucesso entre quem deseja se livrar dos pelos, precisamente por ir enfraquecendo o folículo até o destruir por completo. Geralmente, são necessárias algumas sessões até que essa destruição aconteça, o que varia de acordo com a pele da pessoa, a cor do fio e o tipo de laser. De uma forma geral, quem tem pele clara e pelos mais escuros apresenta resultados mais rápidos.

Luz pulsada: a luz pulsada, ou fotodepilação, também é considerada um método definitivo de acabar com os pelos. Um pouco mais acessível que o laser, ela precisa de mais sessões para realmente cumprir o seu dever, no entanto, costuma ser menos dolorosa.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2.2. Métodos temporários

Cera: a cera é um dos métodos usados para remover os pelos mais antigos, e também um dos mais eficazes. Embora seja considerado o método mais doloroso, estando à frente até do laser nesse quesito, é o que tem uma maior durabilidade entre os não-definitivos, podendo deixar a pele livre de pelos por mais tempo.

Lâmina: também muito tradicional, a lâmina é a opção mais rápida, barata e indolor para acabar com os pelos. No entanto, nem tudo são benefícios: o pelo cresce rapidamente, em alguns casos, desponta logo no dia seguinte. Este método também costuma favorecer infecções, alergias e sensibilidade na pele, além, é claro, dos temidos cortes.

Linha: a depilação com linha é uma excelente alternativa à cera, especialmente em regiões menores como a sobrancelha ou o buço. Funcionando como uma pinça, a linha torcida e arrastada sobre a pele arranca o pelo pela raiz, garantindo um efeito mais preciso e tão duradouro quanto a cera.

Pinça: geralmente, a pinça é usada entre sessões de depilação com outros métodos para manter a pele lisinha. Ela remove o pelo um a um, e é ideal para áreas pequenas.

Creme depilatório: muito usado nos anos 80 e 90, o creme depilatório ainda é usado em regiões grandes como pernas ou braços. Prático, ele pode ser usado diretamente no banho: é só aplicar o produto, esperar alguns segundos e remover tudo com uma esponja. No entanto, a sua fórmula costuma ser altamente irritativa.

Depiladores elétricos: para quem tolera bem a dor e prefere não sair de casa, os famosos depiladores elétricos podem ser a solução. Com um conjunto de pinças precisas e bem juntinhas, ele vai arrancando os pelos pela raiz ao longo da área escolhida.

3. Como devemos cuidar da pele após a depilação?

Embora uns mais que outros, qualquer método de depilação deixa a pele sensível. Para acalmar a vermelhidão e irritação, é necessário tomar alguns cuidados após o procedimento.

- Aplicar protetor solar logo após a depilação nas áreas expostas;
- Evitar banhos quentes logo após a depilação;Aplicar um hidratante fortalecedor de barreira após o banho;
- Borrifar água termal nas áreas sensibilizadas com frequência;
- Usar dermocosméticos com propriedades cicatrizantes;
- Não usar produtos com ácidos nas regiões depiladas nos dias após a depilação.

4. Manchas na pele causadas pela depilação

Por causar processos inflamatórios na pele, a depilação pode promover o surgimento de manchas escuras.

Saiba como:

Laser e luz pulsada: quando o pelo é muito claro, os raios podem atingir o pigmento da pele, criando uma reação dos melanócitos.

Cera: a temperatura, quando muito elevada, pode causar um processo inflamatório que inicialmente fica avermelhado e depois se transforma em mancha.

Pinça, linha e depilador elétrico: eles podem manchar a pele em duas frentes - ao pinçar a pele, machucando-a; e ao sensibilizar a pele que depois será exposta ao sol;

Lâmina e creme depilatório: através de possíveis cortes ou alergias que possam causar, criando uma ferida cuja cicatriz resultará em mancha.

Para evitar qualquer um destes cenários, além de consultar um dermatologista, se depilar com profissionais capacitados e sempre seguir os cuidados aconselhados pelos mesmos, é essencial sempre usar protetor solar de FPS alto, antes e depois da sessão.

5. Mitos e verdades sobre depilação

5.1. Cera quente mancha a pele?

Verdade! A depilação com cera pode manchar a pele de duas formas: por conta da temperatura do produto que, quando muito elevada, pode queimar; e quando o processo é feito de forma pouco cuidadosa, podendo remover a camada hidrolipídica da pele e criando, assim um outro processo inflamatório.

5.2. Não se pode fazer depilação a laser no verão.

Parcialmente verdade. A depilação a laser não deve ser feita quando a pele está bronzeada, uma vez que o contraste entre os folículos e a pele não fica tão evidente, podendo “confundir” o laser e, consequentemente, criando queimaduras. Da mesma forma, não é recomendado sair no sol forte após a depilação a laser, já que isso pode manchar permanentemente a pele.

5.3. Depilação com lâmina engrossa o pelo.

Mito! Embora possa parecer que o pelo vai ficando mais grosso à medida que é cortado com a lâmina, isso não passa de uma ilusão. O que acontece é que, por não ser arrancado pela raiz, o fio é cortado na sua metade, onde tem um diâmetro maior. Assim, ao despontar na pele, ele surge mais grosso, mas ao atingir o seu tamanho total, volta a apresentar a mesma grossura de antes.

5.4. Depilação dói mais durante o período menstrual.

Verdade! Embora nem todas as mulheres se queixem desse problema, a pele fica mais sensível no período pré-menstrual e durante a própria menstruação. Assim, qualquer método de depilação que provoque dor, como a cera, a pinça ou o laser, vão causar mais incômodo nesta época do mês.