A dermatite atópica é uma dermatose geneticamente determinada, que ocorre com a alteração do manto hidrolipídico. De acordo com a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo, a doença é como se fosse “a rinite cutânea” e explica: “Os pacientes que possuem esse tipo de dermatite costumam ter uma pele hiper-reativa, com perda demasiada de hidratação, proporcionando uma região bastante ressecada e sensível”. Para reverter esse quadro e ter uma pele saudável sem a formação de manchas vermelhas, escamas e coceira, você precisa usar os produtos e ativos apropriados. O DermaClub, juntamente com a médica, listam os principais para incluir na sua rotina de cuidados.

Entenda a pele de quem tem dermatite atópica

Segundo a dermatologista, quem tem tem dermatite atópica, apresenta uma pele bastante temperamental: “Pessoas com essa condição quando entram em contato com substâncias reativas - que possuem parabenos, álcool, perfume ou corante - acabam tendo uma grande reação, apresentando manchas vermelhas, muita coceira e ardência na pele”, explicou.

Além disso, a dermatite atópica pode acometer qualquer faixa etária, sendo mais comum durante a infância - que pode melhorar ao longo da vida ou não. E o quadro clínico também é muito variável, proporcionando sintomas leves a intensos.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Essa doença de pele tem cura?

Não tem cura por ser uma doença crônica, mas com o tratamento correto, é possível controlar o quadro e evitar a piora das lesões na pele. De acordo com a Dra. Carolina, o tratamento é direcionado de acordo com a gravidade da dermatite. “Nos casos mais leves, o problema pode ser tratado apenas com hidratação e o uso de imunomoduladores, como os corticoides tópicos; já as formas mais graves e muito intensas, precisam ser cuidadas com medicações sistêmicas, como os corticoides de uso oral”, ressaltou.

8 cuidados com a pele, produtos e ativos para quem tem dermatite

1) Prefira tomar banhos mornos ou frios;

2) Não demorar muito no banho;

3) Não usar nenhum tipo de bucha;

4) Usar um sabonete especial - de preferência aqueles infantis ou específicos para quem tem dermatite atópica que são neutros, não possuem álcool ou parabenos, e contém ativos anti-inflamatórios para aliviar as lesões avermelhadas e hidratantes para preservação do filme hidrolipídico;

5) Tomar cuidado também com o amaciante que coloca na roupa;

6) Evitar ao máximo o uso de perfumes;

7) Manter a limpeza do ambiente da casa também é importante para não agravar as lesões;

8) Acima de tudo, hidratação diária, de preferência com um hidratante enriquecido com ativos emolientes, anti-inflamatórios e prebióticos.

A dermatologista ressalta: “A pele com dermatite possui um déficit de quantidade de água, que pode ser reposto através do uso de hidratantes especiais para quem tem essa condição - ou seja, sem perfume e corante para não agravar as lesões”. Sendo assim, passe o produto logo após o banho, enquanto a pele estiver bem úmida, no corpo todo e, principalmente, na região das dobras, onde as lesões costumam ser maiores.

Dermatologista:

Drª. Carolina Marçon // CRM: 113.379

Dra. Carolina Marçon é fez sua especialização em Clínica Médica pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Possui título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Médica Brasileira (AMB). Especialização em Dermatoscopia e Oncologia Cutânea no Hospital AC Camargo. Membro Titular da American Academy of Dermatology (AAD). Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Coordenadora do Programa Pró-Albino - Santa Casa de Misericórdia de São Paulo/SBD.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.