Com a chegada da menopausa, a sua pele parece menos viçosa, mais flácida e com rugas e linhas de expressão mais acentuadas? Saiba que isso é perfeitamente normal, e acontece por conta da perda gradual do colágeno. Por vezes, a região também fica mais ressecada ou mais oleosa - ou até os dois ao mesmo tempo! -, mas tudo isso faz parte do processo. A boa notícia é que podemos amenizar esses problemas dando uma renovada na rotina de cuidados com a pele e apostando em alguns procedimentos estéticos. Ficou curiosa? O DermaClub explica as melhores formas de lidar com a menopausa sem deixar de ter a pele bonita e saudável.

Não é coisa da sua cabeça: a pele realmente muda quando a mulher entra na menopausa

Segundo a dermatologista Nicole Perim, de Belo Horizonte, de Minas Gerais, os ovários produzem menor quantidade de estrógenos, provocando mudanças no organismo feminino. “Esse hormônio estimula a produção de fibras de colágeno e, por esta razão, a área fica mais delicada, flácida e sujeita ao aparecimento de rugas. Também há diminuição das taxas de ácido hialurônico - importante para a hidratação -, deixando a pele ressecada e sensível a irritações”, explicou. Além disso, ainda há aumento na ação de hormônios masculinos, estimulando o aparecimento de pelos em locais indesejados, como queixo e buço.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Mude seus hábitos e diminua os impactos da menopausa na sua pele!

De acordo com a médica, hábitos saudáveis são fundamentais para minimizar as alterações que ocorrem durante a menopausa. “O consumo de bebidas alcoólicas, o tabagismo e a exposição solar sem proteção intensificam o ressecamento, a perda de elasticidade e luminosidade da pele”, contou.

Hidratantes com ativos antioxidantes e ácido hialurônico: aprenda a cuidar da pele madura nessa época

Para diminuir os efeitos causados pela menopausa, é fundamental o uso de ativos hidratantes. “Eles contribuem para a saúde, melhorando a textura, luminosidade e auxiliando a barreira de proteção contra irritações e infecções. Os produtos utilizados devem ser específicos e menos agressivos, já que a região fica mais sensível nessa fase”, esclareceu a médica.

Os dermocosméticos mais indicados devem conter em sua formulação ativos como o ácido hialurônico, ureia ou alfa-hidroxiácidos, que promovem hidratação intensa da região. “Produtos contendo vitaminas A, C e E, além de terem ação antienvelhecimento, também têm potencial hidratante”, disse, afirmando que, para ajudar a produção de colágeno, cremes com retinoides são ideais para as peles maduras.

Dermatologista explica os tratamentos clínicos mais indicados para mulheres na menopausa

Tratamentos realizados em consultório ajudam a melhorar a hidratação e estimular a produção de colágeno, deixando a pele menos rugosa e mais firme. “Substâncias injetáveis - como o ácido hialurônico -, lasers, peelings e microagulhamentos são alguns exemplos. É importante lembrar que os tratamentos são individualizados, já que, mesmo na menopausa, a pele de cada mulher possui necessidades específicas”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

 ** Esta matéria foi atualizada no dia 10/06/2019