Com o passar dos anos, é comum notar o surgimento de pequenos pontos em tons de castanho a negro na pele do rosto e pescoço. Este tipo de lesão tem nome: dermatose papulosa nigra. Frequente em peles femininas, maduras e negras, a doença é benigna - ou seja, não ameaça a saúde -, mas há quem queira se ver livre das pintinhas. O DermaClub conversou com a dermatologista Katleen Conceição, do Rio de Janeiro, que é especialista no assunto e explicou o que é e como tratar a cútis com pontos escuros. Acompanhe!

Dermatologista explica o que é a dermatose papulosa nigra e como a doença acontece

A dermatose papulosa nigra consiste no surgimento de pequenas lesões em tons de marrom, que são clinicamente chamadas de ceratose seborreica. Elas começam a surgir como pontinhos, podendo formar placas maiores conforme a junção deles. Segundo Dra. Katleen, apesar de existir uma predisposição genética, qualquer pessoa pode contrair a doença, mas é mais frequente o surgimento em peles maduras, negras, mulatas e mulheres.

É possível contrair a dermatose papulosa nigra com o passar dos anos

Apesar de ser mais comum na idade adulta, é possível notar o início da doença ainda na juventude, já que, apesar de sua característica genética, não tem idade para surgir: “O paciente pode contraí-las durante a vida e as manchas irem aumentando com o tempo, principalmente com a exposição excessiva ao sol”.

Descubra quais as melhores opções de tratamento para eliminar as lesões da dermatose papulosa nigra da pele

As manchinhas provocadas pela doença não fazem mal à saúde, mas muitas pessoas se incomodam com o aspecto visual que elas provocam na pele. “É possível removê-las por meio de laser ou eletrocoagulação, sempre realizado por um médico dermatologista. Evite sempre a exposição ao sol sem proteção e utilize filtro a cada três horas”, recomendou Dra. Katleen.

Consulte sempre o seu dermatologista, que vai indicar os melhores tratamentos para a dermatose papulosa nigra de acordo com o seu tipo de pele e necessidades! 

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.