Psoríase: você já ouviu falar? Essa doença de pele crônica inflamatória pode aparecer de acordo com o histórico genético do paciente e é muito conhecida por se manifestar através de placas vermelhas, escoriações na pele e coceira. Não tem cura, mas, ao contrário do que muitos pensam, é possível levar uma vida saudável com a psoríase, basta apostar nos cuidados corretos para controlar o quadro. Para entender mais sobre esse problema, as melhores formas de tratamento e como prevenir, o DermaClub entrevistou a dermatologista Daniela Pimentel, que esclareceu as principais dúvidas sobre o assunto. Veja só!

O que é a psoríase? Conheça as categorias da doença de pele

A psoríase é uma doença baseada na rápida renovação celular provocada pelo sistema inflamatório. Normalmente, a nossa pele se renova a cada 10 dias, mas, em pacientes que possuem essa condição, o processo fica tão acelerado que a renovação e a descamação não passam nem um pouco despercebidas. Além disso, em muitos casos, essa renovação pode provocar coceira, placas vermelhas e outros incômodos aos pacientes.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

De acordo com a Drª Daniela, existem diferentes tipos de psoríase e a mais comum é a aquela que se apresenta em placas vermelhas descamativas: “As lesões geralmente são simétricas e aparecem nos membros, couro cabeludo e região sacral. Ela também pode acometer as unhas e as mucosas, além de apresentar prurido de grau variado”. A complicação também corre o risco de evoluir para uma doença reumatológica, atingindo partes das articulações. Em alguns casos, evolui até que o paciente apresenta essas placas vermelhas e descamativas da cabeça aos pés - é considerado um estágio bem severo.

Psoríase é contagiosa? Dá para prevenir? 

Segundo a médica, a doença costuma aparecer depois de momentos de estresse e períodos de baixa imunidade - infecções, gripes e laringites. “É uma pré-disposição genética, que aparece normalmente em duas fases da vida: jovens adultos, depois dos 20 anos, e em pessoas mais maduras, acima dos 60. Mas isso não é restrição, já que crianças também podem desenvolver”, explicou.

Apesar de, geralmente, influenciar na autoestima de quem possui, a doença não é contagiosa. “Existe muito preconceito por conta das placas espalhadas pelo corpo e a descamação, por isso algumas pessoas acreditam que é contagiosa, mas não é”, alertou.

Tratamento para a psoríase: saiba como viver bem com a doença

A Drª Daniela indica as melhores alternativas para evitar as crises de psoríase, que pode ser controlada com a exposição solar (sempre feita de maneira consciente) e o uso de hidratantes emolientes e ou umectantes. “O tratamento vai depender do grau da acometimento variando de substâncias de uso tópico (corticoides, coaltar, calcipotriol, imunomoduladores, retinóides) até medicamentos sistêmicos - a fototerapia também pode ser associada”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.