A psoríase é uma doença crônica inflamatória que sofre influência das condições genéticas do paciente. Conhecida por gerar placas e escamação na pele, não tem cura, mas é possível controlar o quadro. De acordo com especialistas, o primordial é hidratar a pele! O DermaClub conversou com a dermatologista Vanessa Metz, do Rio de Janeiro, que explicou tudo sobre a doença, desde como e por que ela acontece, até quais são as melhores formas de tratamento. Confira!

Descubra o que é a psoríase e conheça suas categorias

De acordo com médica, a psoríase é uma doença crônica inflamatória não infecciosa. “O sistema inflamatório acelera a renovação celular. Se normalmente a pele se renova a cada 10 dias, em pacientes com este quadro fica tão acelerado que a renovação e a descamação não passam despercebidas. Além disso, em muitos casos, pode provocar coceira”, explicou.

A categoria principal da psoríase apresenta placas em áreas mais específicas como cotovelos, joelhos e unhas, mas também pode aparecer em locais de dobras, como axila e virilha, que descamam e desenvolvem feridas. Já no couro cabeludo é confundida com a dermatite seborreica. “Pode evoluir para uma doença reumatológica, atingindo partes de articulação. Em alguns casos, evolui até que o paciente apresenta placas vermelhas e descamativas da cabeça aos pés. É um estágio bem severo”, apontou.

A psoríase não é uma doença contagiosa, saiba por que ela acontece

Segundo a médica, a doença costuma aparecer depois de momentos de estresse e períodos de baixa imunidade - infecções, gripes e laringites. “É uma pré-disposição genética, que aparece normalmente em duas fases da vida: jovens adultos, depois dos 20 anos, e em pessoas mais maduras, acima dos 60. Mas isso não é restrição, já que crianças também podem desenvolver”, explicou.

Apesar de, geralmente, influenciar na autoestima de quem possui, a doença não é contagiosa. “Existe muito preconceito por conta das placas espalhadas pelo corpo e a descamação, por isso algumas pessoas acreditam que é contagiosa, mas não é”, alertou.

Dermatologista apresenta algumas alternativas de tratamento para controlar o quadro

Ainda não existe cura para a psoríase, mas, por meio do acompanhamento médico, é possível controlar os episódios. “O que falamos frequentemente para todos os pacientes, é sobre a hidratação da pele. Independente se haverá um tratamento específico e o motivo ou estado, por causa da descamação é preciso hidratar muito bem para não causar feridas e não machucar”, atentou.

A médica indica a ida ao dermatologista para prescrição de remédios específicos, tanto tópicos quanto orais. Consulte o seu e inicie o tratamento da psoríase.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.