Você já notou em alguma parte do corpo a presença de placas em alto relevo, com aparência avermelhada e que provocam coceira? Estas são as características de uma lesão de urticária, que, geralmente, dura menos de 24 horas e se resolve totalmente sem deixar nenhum sinal. Diferentes fatores podem estimular o quadro, que é controlado com a ingestão de remédios antialérgicos.

Dermatologista explica o que é a urticária

Segundo a dermatologista Vanessa Metz, do Rio de Janeiro, a urticária é, normalmente, formada por lesões avermelhadas que apresentam coceira e edema. “Estas lesões são provocadas pela liberação de histamina e outros agentes vasoativos dos vasos sanguíneos. Elas podem ser localizadas, na região do pescoço, por exemplo, como também podem estar generalizadas pelo corpo todo”, esclareceu.

Saiba quais são os principais tipos da doença

A médica contou que existem diferentes causas para a urticária. Os sintomas são os mesmos, porém o tempo de duração da lesão pode variar de acordo com a situação:

- Urticária por hipersensibilidade: é “ativada” por reação alérgica. “Após a ingestão ou contato com algo que cause sensibilidade, anticorpos entram em ação e provocam a degranulação dos mastócitos - células do sangue que possuem histamina e outros grânulos vasoativos”, disse. A lesão costuma permanecer no corpo por um período de até 24 horas;

- Urticária crônica: dura mais tempo e provoca dor e, geralmente, precisa de biópsia para ser diagnosticada;

- Urticária física: é provocada por um momento de pressão, quando apoiamos o braço em uma cadeira ou mesmo o computador sobre as pernas. Ao mudar a posição é possível notar um processo de urticária no local. Este é um caso menos comum;

- Urticária de frio ou calor: sofre influência da temperatura. “Alguns pacientes relatam que depois de um banho muito quente ou muito frio apresentam placas vermelhas pelo corpo, que não coçam tanto, mas não deixam de ser um tipo de urticária, eu, por exemplo, tenho urticária de calor”, concluiu.

Descubra como é feito o diagnóstico e o tratamento do quadro

De acordo com a Dra. Vanessa, o diagnóstico, geralmente, é feito através de exame físico e pelo histórico que o paciente apresenta. “Em alguns casos, é preciso realizar uma biópsia. Quando a lesão dura mais de 24 horas, por exemplo, ela se caracteriza como urticária crônica e necessita dessa análise”, explicou. Para o tratamento, são usados medicamentos anti-histamínicos, que, dependendo do quadro, podem conter ativos sedativos.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.