A esfoliação é um procedimento necessário para garantir o viço e a boa textura da pele, porém, é importante ter alguns cuidados para que isso não atrapalhe a saúde do corpo. Qualquer que seja a técnica escolhida - física ou química - é preciso tomar cuidado com a realização do processo e sua frequência. Por isso, o DermaClub conversou com a dermatologista Mariana Pinheiro, do Rio de Janeiro, que contou qual o papel da esfoliação, por que ela pode ser prejudicial e qual intervalo ideal.

Entenda por que muita esfoliação é prejudicial para a saúde da pele

Segundo a médica, a pele é o maior órgão do corpo humano e funciona como uma barreira de proteção contra fungos, bactérias, vírus e outras ameaças. Quando a esfoliação se torna excessiva, reduzimos o manto lipídico presente na pele e com isso, as defesas naturais do organismo diminuem. “A partir disso é comum intensificar a coceira e o ressecamento, além de nos deixar mais suscetíveis à entrada de microorganismos, aumentando o risco de infecções na pele. Agora, quando a frequência de utilização dos esfoliantes ocorre de maneira correta, promovemos uma renovação celular e permitimos que os cremes hidratantes tenham melhor absorção e, com isso, melhores resultados”, esclareceu.

Descubra qual é o papel da esfoliação

A Dra. Mariana Pinheiro explicou que a função da esfoliação é promover a renovação celular, retirando as células mortas da camada mais externa da pele. Para garantir o efeito desejado podem ser usados produtos como cremes, sabonetes ou óleos que apresentem ativos específicos ou grânulos. O procedimento pode ser feito em qualquer tipo de pele, no entanto, é importante consultar um dermatologista para indicação correta de produto e frequência.

Saiba qual é o intervalo ideal para realizar a esfoliação

A indicação da dermatologista é que a esfoliação seja feita, no máximo, uma vez por semana. “O ideal entre uma esfoliação e outra é respeitar o intervalo de 15 dias”, pontuou. É importante lembrar que, além de prestar atenção na frequência, não é necessário realizar movimentos brutos, pois isso machuca a região e não garante o resultado desejado.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.