As espinhas no corpo são comuns e aparecem com frequência em adolescentes, devido ao estímulo hormonal, e em mulheres, pelo uso de roupas apertadas e depilação. “Estima-se que a acne afeta, aproximadamente, 85% da população em qualquer momento da vida”, afirmou a dermatologista Tatiane Curi, de São Paulo. Em entrevista ao DermaClub, a médica ainda explicou por que as lesões surgem e como é possível tratá-las. Confira!

Dermatologista explica por que as espinhas aparecem no corpo

Segundo a especialista, a acne é uma doença crônica, inflamatória, que compromete áreas do corpo com maior quantidade de folículos pilossebáceos. Existem quatro fatores principais que estimulam seu aparecimento:

- Aumento da oleosidade, muitas vezes sob influência hormonal;

- Entupimento dos poros com a formação de cravos;

- Colonização do folículo por micro-organismos;

- Reação inflamatória por presença de bactérias.

Saiba por que as costas e as nádegas são comumente afetadas

As costas, são áreas ricas em folículos pilossebáceos e, por essa razão, aparecem espinhas na região. “A ingestão de vitaminas do complexo B, alguns medicamentos ou até cremes e loções muito oleosas contribuem para o aparecimento da acne”, complementou.

Já as lesões nas nádegas são chamadas de foliculite e também se instalam pelo favorecimento de bactérias na região. “Essa área apresenta um agravante em que a maioria das pessoas permanecem muito tempo sentadas, com uso excessivo de tecidos justos e grossos, que não permitem a oxigenação. Isso tudo torna o local suscetível a esse tipo de problema”, esclareceu, acrescentando que a depilação constante pode piorar o quadro.

Descubra quais são os tratamentos mais indicados para as espinhas no corpo

São diversas as opções de tratamento para a acne. Podem ser indicadas medicações tópicas queratolíticas, adstringentes, limpeza diária - com intenção de remover o excesso de oleosidade -, além de produtos que contenham alfa-hidroxiácidos, como o ácido glicólico, beta-hidroxiácido, como o ácido salicílico e o LHA ou derivados da vitamina A. “Para casos mais graves, também são prescritos antibióticos tópicos ou orais”, disse.

Em consultórios dermatológicos são realizadas aplicações de luzes led com efeito ‘secativo’ e anti-inflamatório. “Peelings de ácidos também podem ser uma opção. O principal é evitar os fatores desencadeantes”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.