Por ser um ótimo estimulador da vitamina D no organismo, o sol não deve ser considerado um vilão para a saúde da pele. Por outro lado, é importante enfatizar que a exposição em excesso e sem proteção a esse agente externo pode gerar uma série de problemas na pele, principalmente para quem tem acne. Mas, de que maneira devemos proteger a pele com espinhas contra a radiação solar? O DermaClub convidou a dermatologista Valéria Marcondes, de São Paulo, que esclareceu alguns cuidados importantes a serem praticados. Olha só!

Os malefícios dos raios solares para a pele acneica

De acordo com a médica, a pele oleosa é mais propensa ao desenvolvimento de espinhas, por isso, acaba sofrendo bastante com os danos da exposição ao sol. “Os raios solares podem diminuir a imunidade da pele, facilitando a proliferação da bactéria Propionibacterium acnes, que favorece o desenvolvimento da acne”, explicou, enfatizando que a radiação UVA e UVB também pode aumentar em número e gravidade as espinhas já existentes.

A pele acneica pode piorar significativamente quando exposta ao sol, estimulando, ainda, o surgimento de manchas escuras nos locais das lesões. “A melhor opção para evitar essas características na pele é buscar tratamentos específicos e prescritos por um dermatologista”, indicou Dra. Valéria.

A maneira mais segura de proteger a pele acneica contra os raios UV

Quem tem a pele acneica e oleosa não precisa fugir do sol, apenas deve se expor nos horários adequados - antes das 10h e depois das 16h - sempre com a proteção de barreiras físicas, como chapéus e roupas, e, acima de tudo, usando filtro solar com FPS 30, no mínimo. “Deve-se dar preferência aos protetores com fórmulas seborreguladoras, livres de óleo e com toque seco", afirmou a médica.

Existem também outros dermocosméticos eficazes no combate à acne e manchas de lesões de espinhas. Esses produtos atuam como corretores para esses problemas, têm eficácia comprovada contra a radiação UV e a poluição - já que têm ação antioxidante e FPS -, além de textura hidratante, matificante e não pegajosa. Entre os ativos presentes, destacam-se: niacinamida, ácido salicílico, LHA, PCA de zinco e água termal.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.