Chamado o "mal do século", o estresse pode refletir negativamente de várias maneiras na sua rotina, desde atrapalhar o sono até causar queda de cabelo. Além disso, muitas pessoas afirmam que o problema é até capaz de provocar rugas na pele, mas será que isso é verdade? A fim de esclarecer o assunto, o DermaClub conversou com a dermatologista, Lívia Luna, do Rio de Janeiro. Saiba como amenizar esses sintomas do envelhecimento.

Rugas: o que são essas marcas de expressão e quais as suas maiores causas?

De acordo com a médica, as rugas são vincos formados na pele que surgem devido ao processo de envelhecimento e a perda progressiva de colágeno e elastina - os principais responsáveis pela sustentação cutânea. “Elas começam a surgir por volta dos 30 anos, iniciando como rugas finas. As mais extensas já começam a serem notadas aos 45 - que possuem relação com a perda de firmeza e afinamento da pele”, explicou.

A dermatologista ainda ressalta que essas marcas são consequências do envelhecimento: intrínseco - geneticamente natural - e extrínseco - causado por agentes externos como o sol, tabagismo, estresse e poluição.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

É verdade que as rugas podem piorar com o estresse?

A Dra. Lívia afirma que o estresse pode, sim, piorar as rugas devido a alguns fatores estimulantes: “Além de franzir a testa com frequência quando se está estressada, o corpo prioriza nutrientes para órgãos específicos, como coração, cérebro e rins. Com menos nutrientes e oxigênio chegando à pele, ela reduz a capacidade de fazer a renovação celular e, consequentemente, de produzir colágeno”, esclareceu. Outro impacto relacionado ao estresse é o aumento dos radicais livres, tornando a pele desidratada, sem brilho e flácida.

É possível evitar o surgimento precoce das rugas adotando hábitos saudáveis

Em primeiro lugar, é fundamental ter o acompanhamento com o dermatologista desde o surgimento das rugas mais finas. “Assim, já podemos usar dermocosméticos com ativos que estimulam as fibras de colágeno, antioxidantes, hidratantes, regeneradores celulares, além do filtro solar que é indispensável”, indicou.

Com relação ao estresse, a dermatologista diz que é importante tentar minimizar seus efeitos no organismo com alguns hábitos: “Praticando uma alimentação saudável, aumentando a ingestão de líquidos e a prática de exercícios, a fim de trazer relaxamento e bem-estar. Suplementos também são bem vindos, principalmente aqueles com antioxidantes - agentes que induzem a renovação celular e estimulam o colágeno”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.