Durante o verão é comum ocorrerem excessos nos banhos de sol por falta de atenção, distração ou diversas outras razões. Mesmo nesses casos, muitas pessoas não sabem como prevenir a pele da descamação. Por isso, o DermaClub conversou com a dermatologista Juliana Jordão, de Curitiba, capital do Paraná, que contou como deve ser feita a proteção, e, no caso do exagero com o sol, como cuidar da pele e evitar que ela descasque. Acompanhe!

Reaplicar o filtro solar é um hábito importante que não deve ser esquecido

De acordo com a médica, o ideal é que o filtro solar seja reaplicado a cada duas horas, pois essa é a duração do produto. “É importante lembrar que ao entrarmos na água o protetor tem sua duração reduzida. Mesmo que o paciente opte por produtos resistentes à água ou esportivos, aconselhamos a reaplicação ao sair dela”, esclareceu, indicando, para esses casos, a versão em spray, que facilita o processo. Quanto maior o FPS, maior a proteção, porém, a especialista afirma que o mais importante é a reaplicação.

A proteção física é forte aliada para minimizar os danos da radiação na pele

Para a dermatologista, a proteção física é sempre a mais eficaz. “Guarda-sol, óculos escuros, chapéus e roupas, especialmente aquelas compostas por tecidos com barreiras UV, são ótimas alternativas. Além disso, o uso de antioxidantes via oral reforça a proteção”, disse, afirmando que a aplicação da água termal durante horários de temperatura elevada minimiza os efeitos do calor e reduz o risco de intensificação de manchas. “É importante lembrar que ela deve ser aplicada para reduzir a temperatura da pele, e logo após o filtro solar deve ser reaplicado”, comentou.

Dermatologista explica como cuidar da pele depois de muitas horas de exposição

A médica explicou que, quando a pessoa exagera na exposição ao sol e quer evitar que a pele descasque, o ideal é utilizar cremes hidratantes com substâncias calmantes. Em caso de dor aposte também em compressas geladas de chá de camomila no local e analgésicos via oral, que devem ser prescritos por um especialista. “Evite esponjas e banhos quentes e demorados. Além disso, a ingestão de água é importante para evitar a desidratação”, pontuou, chamando atenção para os sintomas da insolação, como hipotensão, diarreia e calafrios.

Se expor ao sol novamente pode sensibilizar ainda mais a pele

É comum ouvir pelas ruas que tomar banho de sol em dias seguidos diminui as chances da pele descascar, porém, a médica explicou que não é isso que acontece. “Quando já existe o excesso de exposição isso pode sensibilizar ainda mais o corpo, piorar a vermelhidão e levar a manchas de difícil tratamento. Após a queimadura solar a medida principal é se afastar do sol até a total recuperação”, concluiu.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.