O protetor solar é um dos principais produtos que não podem faltar no nécessaire. De acordo com dermatologistas, ele deve estar presente na rotina de cuidados todos os dias - independentemente da estação do ano! -, e, assim, é possível conquistar uma cútis mais saudável, prevenir manchas e doenças. Mas você sabia que existe mais de um tipo de filtro? O produto pode ter fórmula química ou física. Entenda mais sobre as diferentes características e funções de cada um!

Protetor solar químico: reagindo com os raios

O tipo de filtro mais conhecido é o químico, que possui moléculas que absorvem a radiação ultravioleta (altamente energética) transformando-a em radiação de baixa energia. Assim, de fato, ele cria uma proteção química na camada cutânea, reagindo com a radiação solar e impedindo sua penetração na pele. Além disso, ainda pode ser considerado como de amplo espectro, atuando na faixa UVA e UVB, ou exclusivamente UVA ou UVB. Deve ser reaplicado com frequência, principalmente em caso de exposição total.

Protetor solar físico: refletindo os raios

O protetor físico, também chamado de inorgânico, é composto por minerais, como dióxido de titânio e óxido de zinco, que ficam sobre a pele sem absorção. Com a cobertura, os raios batem e são refletidos pelo filtro, auxiliando na prevenção do fotoenvelhecimento. É ideal para crianças, pessoas alérgicas e grávidas, já que sua formulação não se funde com a pele.

Saiba como escolher o filtro solar ideal para você

Em ambos os casos, a eficácia do fator de proteção solar funciona da mesma forma, evitando os danos nocivos dos raios solares. No entanto, para escolher o dermocosmético ideal deve-se atentar para o tipo de cútis e suas peculiaridades. Quem possui sensibilidade cutânea, por exemplo, pode optar por um filtro físico. Já pacientes que não tenham restrições e não apresentem doenças, como urticária solar ou lúpus, podem investir em um protetor químico, que não haverá comprometimento da ação fotoprotetora.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.