Você sabe o que é foliculite? Uma inflamação que atinge os folículos pilosos, formada por bolinhas vermelhas, muitas vezes amareladas no centro, que causam coceira e inchaço na região. Elas podem surgir em qualquer área do corpo com pelos, por conta de fatores como bactérias ou até mesmo o atrito de roupas apertadas. Mesmo sendo um tema comum, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a foliculite. Tratamento a laser é eficaz? Existe uma pomada para pelos encravados? Quais os outros tipos dessa infecção? O DermaClub esclareceu essas e outras dúvidas sobre o problema de pele. Confira!

1. O que é foliculite?

1.1. No que consiste a foliculite?


A foliculite é uma infecção que atinge as regiões do corpo que possuem folículos pilosos (pelos) - geralmente surge nos braços, virilha e coxas. Existem vários fatores que podem causar a foliculite, porém, o mais comum é a manifestação da bactéria Staphylococcus aureus (do gênero estafilococos), que se aloja na pele e reflete nas bolinhas vermelhas e irritativas. Entretanto, há outros tipos de microrganismos, vírus e fungos que também podem estar envolvidos no aparecimento dessas feridas.

1.2. Quais são os tipos de foliculite?

De acordo com a dermatologista Caroline Zaparoli, de São Paulo, dependendo da sua extensão, a foliculite pode ser classificada em dois tipos:

Superficial: que se instala na parte superior do folículo piloso, a pele em volta fica avermelhada e sensível e podem aparecer pequenas pústulas semelhantes a espinhas com conteúdo amarelado. É um quadro mais leve que, muitas vezes, causa coceira.

Profunda: se estende por todo o folículo, alcança a raiz e resulta em uma lesão vermelha que possui um nódulo endurecido e com pus no centro. Além de gerar dor, inchaço e tumefação local, é um tipo de infecção mais grave, que pode destruir o folículo piloso e deixar cicatrizes.

1.3. Foliculite superficial

Foliculite pitirospórica: infecção pelo fungo Malassezia que acontece nas áreas úmidas do corpo. As lesões têm a forma de papulopústulas, que se instalam nas costas, peito e braços, principalmente de adolescentes e homens adultos.

Foliculite por pseudomonas: é transmitida por bactérias chamadas Pseudomonas, que sobrevivem em ambientes úmidos e molhados, como banheiras de hidromassagem e piscinas aquecidas, se os níveis de cloro e o pH estiverem mal regulados. Aparecem como pequenas lesões de pus na pele e coçam bastante.

Pseudofoliculite da barba: inflamação causada por pelos encravados. Nos homens, é mais comum onde fica a barba - na região do rosto e pescoço. Já nas mulheres que fazem depilação com cera quente, também estão sujeitas a desenvolver essa reação principalmente nas axilas e virilha.

Foliculite estafilocócica: é causada pela bactéria Staphylococcus aureus, que pode formar colônias na pele de seus portadores. Só causa problemas quando um ferimento é aberto. A lesão funciona como uma porta de entrada para a bactéria penetrar no organismo e inflamar o folículo. Assim, começam a surgir pequenos nódulos vermelhos com um ponto branco ao centro, que coçam e doem.

1.4. Foliculite profunda

Furúnculos e carbúnculos: são lesões que têm como causa a infecção profunda do folículo piloso pelo Staphylococcus aureus. O furúnculo é um nódulo vermelho e duro com pus na parte central. Ele afeta um único folículo piloso e pode aparecer nas nádegas, pescoço, axilas e virilha. Também pode aparece na parte de trás do pescoço, ombros, quadris e coxas.

Foliculite gram-negativa: em geral, se desenvolve em pessoas que tomam antibióticos por longos períodos para tratamento da acne, uma vez que o uso constante desses medicamentos altera a flora bacteriana do nariz e promove o aparecimento de bactérias que se espalham pela pele do rosto.

Foliculite eosinofílica: a causa ainda não está bem esclarecida, embora não se possa descartar a possibilidade de estar associada à infecção pelo fungo Pityrosporum. O que se sabe é que a doença se manifesta especialmente em pessoas com baixa imunidade , como em portadores de HIV. As lesões, parecidas com espinhas comuns, aparecem principalmente no rosto, coçam muito e deixam manchas escuras no local.

Foliculite no rosto ou sicose da barba: o agente transmissor, mais uma vez, é o Staphylococcus aureus. As lesões aparecem na região da barba, face, lábio superior, queixo e mandíbula dos homens adultos. Têm a forma de pápulas ou pústulas com um pelo no centro, ou de crostas que podem juntar-se para compor placas avermelhadas. Além disso, a repetição do ato de barbear pode tornar a infecção mais grave e deixar cicatrizes.

2. Quais são as causas da foliculite?

2.1. Fique de olho nos sintomas:

- Bolinhas vermelhas;
- Muitas vezes essas lesões possuem a ponta branca com pus;
- Inchaço;
- Coceira;
- Sensibilidade local;
- Cicatrizes;
- Manchas escuras no local.

2.2. Fatores que motivam a foliculite

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), existem alguns fatores que acabam deixando o paciente mais suscetível à foliculite. São eles:

- Doenças que diminuem a imunidade (diabetes, leucemia crônica e AIDS);
- Pessoas com quadro de acne;
- Pacientes com casos de dermatite;
- Uso de medicamentos corticoides ou antibióticos a longo prazo;
- Fricção ao se barbear;
- Se depilar de forma errada com lâmina ou cera;
- Calor e suor somado com abafamento;
- Alergias causadas por curativos em contato com a área pilosa.

3. Como prevenir a foliculite?

3.1. Formas de prevenir as bolinhas vermelhas

- Lave o corpo, principalmente as regiões com pelos, com loções e sabonetes antissépticos antes e depois de fazer depilação;
- Evite usar roupas muito justas, pois elas aumentam o atrito com a pele e retém suor;
- Depois do banho enxugue muito bem a pele para evitar fungos;
- Hidrate a pele todos os dias;
- Faça uma esfoliação para se livrar das células mortas;
- Tenha mais cuidado ao fazer a barba - molhe o rosto com água morna, use creme de barbear, passe a lâmina no sentido do crescimento do pelo e hidrate quando terminar.

4. Tratamento: foliculite tem cura?

O tratamento da foliculite pode variar de acordo com a causa, tipo e gravidade das lesões. A Dra. Carolina Zaparoli afirma que os casos mais leves costumam responder bem a alguns cuidados simples e os quadros que possuem maiores agravantes, vão precisar de medidas mais elaboradas.

4.1. Cuidados com dermocosméticos e ativos, que devem ser indicados pelo médico dermatologista

- Higiene do local utilizando água morna e sabonete antisséptico para o seu tipo de pele;
- Uso tópico de pomadas ou cremes corticoides;
- Uso tópico de pomadas ou cremes antifúngicos;
- Uso de água termal em casos de irritação e vermelhidão;
- Compressas mornas e úmidas 3 vezes ao dia.

4.2. Procedimentos clínicos realizados pelo dermatologista

- Cirurgia: abscessos maiores podem exigir intervenção cirúrgica para drenar o pus, a fim de aliviar a dor e facilitar o processo de recuperação;

- Depilação a laser: uma solução definitiva que destrói o folículo piloso e impede que a foliculite aconteça.

5. Mitos e verdades sobre a foliculite

5.1. Foliculite é a mesma coisa que pelo encravado.

Não é mito, nem verdade. O pelo encravado é considerado como o primeiro fator de risco para a foliculite. Ele se forma quando o folículo piloso nasce e não consegue brotar da superfície da pele. A ponta se curva e penetra mais uma vez no folículo, o que acaba causando uma reação inflamatória: formando bolinhas vermelhas - que levam o nome de pseudofoliculite.

Quando esse folículo já inflamado é atingido por algum tipo de bactéria, fungo, vírus ou outros microorganismos, recebe o nome de foliculite. Nesta fase, as bolinhas vermelhas apresentam pus e ficam inchadas.

5.2. Não podemos manipular as lesões de foliculite.

Verdade. Assim como as espinhas, as lesões de foliculite não devem ser manipuladas, principalmente se suas mãos estiverem sujas. Isso só vai agravar cada vez mais o quadro de inflamação, o que pode causar manchas escuras e cicatrizes na região afetada.

5.3. Depilação a laser é a melhor forma de prevenir e acabar com a foliculite.

Verdade. A depilação a laser consegue eliminar o pelo ou retardar a capacidade do folículo produzir um fio novo. Portanto, se não houver pelos na região, não existe o risco de foliculite.

5.4. A foliculite também pode surgir no cabelo.

Verdade. Ela pode ser causada por uma infecção viral, bacteriana ou fúngica. Seus maiores sintomas são coceira, vermelhidão e inflamação no couro cabeludo, além do surgimento de pequenas bolinhas com pus.

5.5. Acne é a mesma coisa que foliculite.

Mito. A acne e a foliculite são doenças diferentes. Entretanto, ambas apresentam uma manifestação visual semelhante, acontecem por processo inflamatório no folículo piloso, e apresentam uma carga genética e hormonal. A acne é causada por um fator inflamatório relacionado a uma bactéria específica, a Propionibacterium acnes. Já na foliculite, a inflamação pode ser causada através de vírus, bactérias ou fungos.

Se você ainda está com dúvidas sobre o assunto, consulte seu dermatologista para um melhor diagnóstico e fazer o tratamento ideal para foliculite.