A foliculite é uma infecção bacteriana e pode atingir qualquer pessoa. Ela pode ser de diversos tipos e graus de intensidade, sendo necessário um tratamento específico para cada caso. A equipe do DermaClub conversou com a dermatologista Marcia Linhares, do Rio de Janeiro, que explicou o que é, a diferença entre os tipos da doença, como prevenir e ainda a melhor maneira de minimizar o aspecto visual do quadro. Confira!

Descubra o que é a foliculite e por que ela acontece

De acordo com a Dra. Marcia, a foliculite é uma infecção de pele que se inicia no folículo piloso - estrutura dérmica onde o pelo é produzido. “Em geral, é causada por bactérias que habitam normalmente a pele, mas existem também casos de imunodepressão, que podem ser causados por outros microorganismos, como, por exemplo, os fungos”, explicou. Além disso, a foliculite pode atingir a cútis de duas formas:

- Superficialmente: a manifestação ocorre somente no orifício por onde sai o pelo;
- Profundamente: atinge todo o folículo ou em casos de hordéolo, conhecido popularmente como terçol.

Existem ainda diversos tipos de foliculite que atingem diferentes áreas do corpo. As secundárias, por exemplo, ocorrem nas axilas e partes íntimas devido ao aumento da produção de queratina no folículo com obstrução. Outros tipos incluem: furúnculo, foliculite queloidiana da nuca, pseudofoliculite da barba, entre outros.

Dra. Marcia Linhares explica a diferença entre a pseudofoliculite pós-barba e as demais

“Em geral, ocorre em indivíduos que se barbeiam com maior frequência, e quando o fator anatômico dos pelos da barba têm tendência a nascerem recurvados, encravam com mais facilidade. São estes pelos que se infectam por bactérias, ocasionando a foliculite”, explicou a dermatologista. “Vale lembrar que nem todos os tipos de foliculite ocorrem pela mesma causa”, reforçou.

Saiba como é possível prevenir a foliculite

A prevenção da foliculite varia muito conforme o tipo de infecção. Segundo a médica, os casos mais comuns são os pós-barba ou depilação. “Nestas situações, o ideal é o uso da bucha vegetal no início do crescimento dos novos pelos, sabonetes esfoliantes e com ácido salicílico também são indicados”, afirmou.

Para pacientes muito propensos a desenvolver o caso, somente um médico dermatologista pode prescrever um creme com corticóide e antibióticos tópicos para serem utilizados logo após a depilação. E não esqueça, é importante usar sempre lâminas novas e limpas. “Existe ainda uma solução definitiva, a depilação a laser, que destrói o folículo piloso e impede que a foliculite aconteça”, acrescentou Marcia.

Conheça algumas formas de minimizar o aspecto visual da foliculite

A dermatologista explicou que a infecção pode deixar manchas e marcas na pele. Isso acontece quando o quadro ocorre repetidas vezes, ou se for de maneira muito intensa. Para esses casos ela indica os cremes clareadores e lasers como os Q-Switchced e luz pulsada para minimizar, além dos ácidos para melhorar a textura da pele.

Consulte seu dermatologista para receber as indicações precisas para o seu caso!

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.