Hoje em dia, fazer uma tatuagem se tornou algo comum. Se você está pensando em fazer a primeira tatuagem ou acabou de fazer uma e está em dúvida sobre como cuidar desse desenho na pele, o DermaClub, junto com o seu time de dermatologistas, reuniu um guia completo para te ajudar nesse processo. Confira!

1. Como é feita a tatuagem?

A tatuagem é feita por meio da injeção de uma tinta específica na derme, região da pele que fica localizada abaixo da epiderme. A dermatologista Rachel Guerra explicou como: “trata-se de dispositivos que, com múltiplas agulhas, trabalham em movimento de vai e vem, perfurando a pele e inserindo a cor simultaneamente. Com isso, o pigmento fica estável na derme por ser formado por partículas grandes, que não são degradadas ou absorvidas pelo organismo”. Para atingir a profundidade adequada, as agulhas usadas têm cerca de dois milímetros - caso não atinjam a derme, a tatuagem acaba sumindo pelo processo natural de descamação da pele.

2. Cicatrização da tatuagem

Ao fazer uma tatuagem, muitas vezes esquecemos que, logo de início, ela se trata de uma ferida aberta que necessita cicatrizar. Existem 3 fases da cicatrização da tattoo:

2.1. Primeira fase da cicatrização da tatuagem

Assim que o tatuador termina o desenho, a tatuagem começa o seu processo de cicatrização. Aqui, ela ainda está em fase de ferida aberta, e precisa ser lavada e então coberta por um filme durante, pelo menos, 24 horas, trocando o curativo com frequência. Nesta fase, a tattoo poderá doer um pouco e estar inchada. A formação de crostas também é comum nesta fase.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2.2. Segunda fase da cicatrização da tatuagem

Aqui, as crostas começam a descamar. É comum aparecer um pequeno prurido ao redor da tatuagem. É essencial não remover as casquinhas da tatuagem, já que, além de ferir a pele, você pode remover pigmento junto, além de comprometer o processo de cicatrização. A área fica seca e dá alguma coceira. Por isso, é importante manter a região hidratada.

2.3 Terceira fase da cicatrização da tatuagem

Essa é a última fase da cicatrização da tatuagem, em que as crostas já terão saído quase por completo. No entanto, ainda existirá uma camada de células mortas sobre o desenho, o que faz com que ele tenha uma aparência menos vibrante que nos primeiros dias.

3. Como cuidar da tatuagem

3.1 Cuidados pré-tatuagem

Antes de fazer uma tatuagem, é essencial fazer um diagnóstico dermatológico. “Se você está pensando em fazer uma tatuagem, é importante realizar uma avaliação com o dermatologista para examinar a região a ser tatuada e checar se não existe nenhuma pinta ou lesão com risco de câncer de pele - já que a arte pode cobrir os sinais”, alertou a dermatologista Daniela Pimentel, de São Paulo. Depois disso, se a sua pele estiver completamente saudável, pode procurar o melhor profissional para fazer a sua tatuagem. Agora, é hora de cuidar dela!

3.2. Cuidados pós-tatuagem

Se você acabou de fazer uma tatuagem, é importante lembrar que ela é como se fosse um ferimento na pele. Dessa forma, é essencial cuidar dela de forma adequada. “A higiene e hidratação do local, usando produtos que ajudam a regenerar, reparar e acalmar a área tatuada, são essenciais”, explicou a dermatologista. No primeiro dia, é fundamental usar um curativo com plástico filme em volta da tatuagem. Após essa fase, para aliviar a irritação e coceira, vale borrifar água termal ao longo do dia, ao mesmo tempo que hidratar bastante com dermocosméticos que ajudam a regenerar a pele sensibilizada, como o pantenol, a vitamina B5, manteiga de karité e vários outros.

Além disso, é essencial proteger a tattoo adequadamente do sol. De acordo com a dermatologista Rachel Guerra, é importante “evitar a exposição ao sol, manter o local limpo e usar produtos cicatrizantes. Após a cicatrização, o desenho ainda vai exigir atenção durante toda a vida. Mantê-lo nítido, com cores vivas e brilhantes é o desejo de todos e só é possível com uma hidratação adequada e fotoproteção da pele. O sol é inimigo das tatuagens”

4. Alergia a tatuagem

4.1. O que causa alergia à tatuagem?

Muitas vezes, existem materiais presentes nas tintas que podem causar reações adversas na pele. “Por conta dos corantes, as coloridas, geralmente, provocam mais complicações do que as pretas”, explicou a dermatologista Tatiana Matos, de Salvador. “Ferro, alumínio, manganês e cádmio são encontrados em algumas tintas e, muitas vezes, causam alergia”. Além disso, pode haver uma coceira devido ao próprio ressecamento da pele.

4.2. Quais os sintomas da alergia à tatuagem?

Além das placas vermelhas e a coceira, de acordo com a médica os sintomas mais comuns são inchaço, descamação e bolinhas. Muitas vezes, o desenho acaba ficando desproporcional, falhado ou em alto relevo.

4.3. O que fazer em caso de alergia à tatuagem?

Neste quadro, a primeira coisa a fazer é procurar um dermatologista imediatamente. “Caso o paciente apresente algum sinal de alergia, ele deve procurar o dermatologista para realizar uma avaliação e tratamento desse processo”, indicou a Drª Daniela.

4. Como lavar a tatuagem corretamente?

A limpeza da sua tatuagem recente não deve ser feita de qualquer modo. Em primeiro lugar, é importante escolher sabonetes antibacterianos e específicos para a pele sensibilizada. Em seguida, você deve lavar as suas mãos e então lavar a própria tatuagem, com água fria a morna e sempre com muito cuidado para não inflamar a região. Depois disso, deixe a tatuagem secar ao ar livre ou use papel toalha com leves batidinhas para enxugar a região.

5. Quais os riscos que a tatuagem pode trazer à saúde?

Quem faz tatuagens não está livre de correr alguns riscos. Entre eles, estão:

- Reação alérgica à tinta, podendo surgir anos após a realização do desenho na pele;
- Risco de contaminação de doenças como AIDS, Staphylococcus aureus, hepatite B ou C;
- Formação de cicatrizes com relevo, bem como queloide;
- Inflamação do local;
- Esconder evidência de doenças na pele.

6. Mitos e verdades sobre tatuagem

6.1. Quem tem queloide não deve fazer tatuagem.

Verdade. Se você costuma sofrer desse problema, talvez deva repensar a sua tatuagem. Isso porque, de acordo com a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo, quem possui um histórico familiar ou pessoal de queloide tem um maior risco de desenvolver esse tipo de cicatriz após a tatuagem. A dermatologista não indica que a pessoa nessas condições tatue.

6.2. A tatuagem deve ser protegida com protetor solar de FPS alto.

Verdade. Para garantir máxima proteção evitar problemas como queimaduras, desbotamento ou alergias, é essencial usar um FPS de fator alto a muito alto na região, como 50 e 70.

6.3. Quem está em período de amamentação não pode fazer tatuagem.

Mito. A mãe pode sim fazer tatuagem, mas é recomendado que os cuidados tidos com a escolha do local, do profissional e a supervisão durante o procedimento vão além do comum. “Pouco se sabe em relação ao uso dos corantes, mas a substância possui grandes partículas que ficam depositadas na pele e não são secretadas pelo leite. Dessa forma, não há risco durante a amamentação por não ocorrer uma absorção cutânea da tinta”, informou a Drª Raquel. No entanto, a médica também alerta que, se o material estiver contaminado, essas doenças podem ser transmitidas à mãe e, consequentemente, ao bebê através do leite materno ou durante a gestação.

6.4. Não poder comer carne de porco depois de fazer tatuagem não passa de um mito.

Mito. É verdade que a carne de porco e outros alimentos gordurosos devem ser evitados após a tatuagem, já que são altamente inflamatórios e podem causar problemas na região. O ideal é ficar pelo menos 15 dias sem consumir esses alimentos.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.