Procedimentos e produtos com ácidos são alguns dos mais procurados pelos pacientes nos consultórios dermatológicos para o tratamento de manchas, espinhas, rugas, entre outras condições. Mas, mesmo proporcionando uma série de benefícios à pele, é importante usar essas substâncias corretamente e sempre através da indicação do um dermatologista. Pensando no seu bem-estar, o DermaClub fez um apanhado geral de todos esses ingredientes ácidos a fim de esclarecer as ações, tipos, vantagens e como podemos usá-los na rotina de cuidados com a pele. Confira!

1. O que são ácidos?

Os ácidos são ativos que proporcionam diversos benefícios, como a renovação da pele. Podemos destacar: a esfoliação que gera a eliminação das células mortas, o que previne o surgimento de cravos e espinhas; o estímulo da produção de colágeno e elastina, proporcionando um rosto mais firme e protegendo contra o envelhecimento precoce e o aparecimento de rugas; e o clareamento de manchas escuras - de melasma, solares ou de acne.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2. Tipos de ácidos e seus benefícios para a pele

2.1. Ácido ascórbico (vitamina C)

É um dos mais potentes antioxidantes, que neutraliza os radicais livres, reforça a fotoproteção e previne envelhecimento precoce. Além disso, a vitamina C também ajuda a clarear a pele e estimula a produção de colágeno.

2.2. Retinol (derivado de Vitamina A)

Estimula a produção de colágeno prevenindo o aparecimento de rugas e linhas de expressão, além de aumentar a firmeza da pele. Além disso, o retinol ainda estimula a renovação celular proporcionando uma pele mais fina e com tonalidade mais uniforme.

2.3. Ácido glicólico

É um alfa-hidroxiácido capaz de promover a renovação celular ao mesmo tempo que hidrata a pele. Promove o rejuvenescimento, clareamento de manchas e redução de lesões de acne.

2.4. Ácido salicílico

É um beta-hidroxiácido com propriedades esfoliantes e seborreguladoras. Ajuda a diminuir o espessamento da pele, evita a contaminação de bactérias e fungos; e promove renovação celular, removendo as células mortas e o excesso de oleosidade.

2.5. Ácido ferúlico

É uma substância fenólica com propriedade antioxidante e clareadora. Associado a outros antioxidantes, como a Vitamina C e a Vitamina E, estabiliza e potencializa a ação antioxidante auxiliando na prevenção da vermelhidão após a exposição ao sol, previne o aparecimento dos sinais do envelhecimento precoce e ajuda a uniformizar o tom da pele

2.6. Ácido dioico

Tem ação calmante e antibacteriana. Auxilia no clareamento e na melhora das imperfeições da pele, como manchas de acne.

2.7. Ácido cítrico

Classificado como um AHA (alfa-hidroxiácido), é um componente de peelings químicos muito utilizado para promover a renovação celular e o clareamento da pele.

2.8. LHA

É um derivado lipofílico do ácido salicílico. Possui ação queratolítica, que ajuda a impedir a formação de cravos e auxilia no controle da oleosidade da pele, sem provocar a irritação.

2.9. Ácido hialurônico

Componente fundamental da pele, a sua perda está relacionada a rugas e linhas de expressão mais profundas. Proporciona hidratação, além de melhorar o viço e suavizar rugas e linhas de expressão para um rejuvenescimento eficaz.

2.10. Ácido tranexâmico

Promove o clareamento eficaz da pele, sendo uma ótima opção para o tratamento de manchas - principalmente aquelas originadas por um processo inflamatório.

2.11. Ácido kójico

Inibe a produção da melanina na pele, promovendo clareamento e uniformidade ao tom da pele. Também é eficaz no cuidado da hiperpigmentação sem causar sensibilidade.

3. Quais cuidados devemos ter com produtos com ácidos?

3.1. Não deixar na horizontal

Esse cuidado é importante para não corroer a pipeta. Deixe sempre seus dermocosméticos com ácidos na vertical. Além disso, evite colocá-los em bolsas ou nécessaire para que não corram o risco de ficarem deitados.

3.2. Não deixar aberto

Isso vale para qualquer dermocosmético, pois ajuda a não volatizar alguns componentes da fórmula, inclusive os ácidos e álcoois.

3.3. Guardar os produtos longe do sol

Muitos são fotossensíveis - não podem ficar expostas à luz - muitas vezes os dermocosméticos possuem embalagens escuras justamente para proteger os componentes da fórmula da luz e assim não perder sua eficácia. Então, deixe os produtos longe do sol e em local arejado.

3.4. Refrigerar alguns

Essa recomendação serve para preservar os ativos, mas não vale para todos os dermocosméticos. Vai depender da especificação na embalagem do produto. Por isso, fique atenta e consulte sempre um dermatologista para esclarecer essas medidas.

3.5. Use sempre com o filtro solar

Dependendo do ativo e da sua concentração, os ácidos podem sensibilizar a pele. Por isso, não deixe de usar o filtro solar com amplo espectro, para proteger a pele contra a radiação solar.

4. Como podemos usar os ácidos no dia a dia?

4.1. Peelings físicos

Esses são considerados mais superficiais e possuem um efeito de esfoliação que favorece a renovação da pele e aumenta a penetração de ativos. Pode ser usado de forma isolada ou combinada com peelings químicos. Esta técnica é indicada para tratamento de cravos no rosto e estrias.

4.2. Peelings químicos

Podem ser muito superficiais, superficiais, médios e profundos, de acordo com a indicação e o objetivo do tratamento. Entre os ativos mais comuns, estão o ácido retinóico, ácido salicílico, tricloroacético, ácido glicólico e o peeling de fenol.

4.3. Dermocosméticos

O uso tópico de produtos com ativos ácidos são os mais procurados pelos pacientes. Eles são menos agressivos que os peelings, e ajudam no tratamento de manchas, acne e rugas.

5. Mitos e verdade sobre os ácidos

5.1. Não podemos usar ácidos no verão

Mito. Existem ativos ácidos que são indicados durante o verão, como é o caso do ácido ascórbico (vitamina C), ácido hialurônico, tranexâmico e o ferúlico. Mas é importante frisar que todos essas substâncias devem ser usadas juntamente com o filtro solar.

5.2. Quem tem a pele seca ou sensível deve evitar ácidos

Verdade. Isso porque os ácidos podem causar irritação, ressecamento e vermelhidão. Por isso, quem tem a pele seca ou sensível, procure dermocosméticos indicados para esse tipo de pele e tenha a indicação de um dermatologista.

5.3. Ácidos só funcionam para clarear manchas na pele

Mito. Os benefícios dos ácidos vão muito além do clareamento de manchas escuras na pele. Eles ajudam a controlar a oleosidade, auxiliam no tratamento de rugas, além de prevenir o envelhecimento precoce.