As peles oleosas exigem atenção redobrada e algumas atitudes do dia a dia - como manipular espinhas e lavar o rosto muitas vezes ao dia - podem agravar o problema. O DermaClub contou com a ajuda da Dra. Vanessa Metz, dermatologista na cidade do Rio de Janeiro, e reuniu cinco dicas do que você pode evitar caso sua pele seja oleosa. Confira quais são e aposte na mudança!

1) Tenha uma quantidade mínima de produtos

De nada adianta passar todos os dias milhares de produtos que bloqueiam a oleosidade e ressecam a pele. O organismo produz sebo de acordo com a necessidade da derme, por isso, matificar exageradamente o rosto acaba levando ao efeito contrário do esperado. Além dos itens recomendados por sua dermatologista, vale apostar em um bom filtro solar que controle a oleosidade, e escolher entre um pó compacto ou translúcido, por exemplo.

2) Evite que o cabelo bata no rosto

Os fios muito próximos ao rosto podem, principalmente, em dias quentes, promover maior concentração de sebo na região. Além disso, se o cabelo também é oleoso, o risco de passar para o rosto é grande. Uma das alternativas é prender a franja, porém, se você não quer abrir mão do estilo, aposte em shampoos secos.

3) Evite o contato das mãos sujas com a espinha

A espinha é uma inflamação na derme, e, por muitas vezes, levar os dedos a ela - por puro incômodo - para tentar esconder ao longo do dia podem agravar o caso. “As mão sujas podem concentrar bactérias debaixo das unhas, aproximá-las das lesões pode aumentar a infecção”, alertou a dermatologista.

4) Evite espremer espinhas

O risco de manipular a acne é o agravamento da inflamação. “Durante o manuseio, bactérias podem entrar na lesão, formando o cisto - traumatismo maior, inchado e dolorido. Dependendo da gravidade da infecção, é necessária a intervenção com antibióticos orais”, explicou a médica.

5) Lavar o rosto muitas vezes ao dia

Lavar o rosto diversas vezes ao dia pode parecer um alívio apenas no momento de contato com a água. Retirar o sebo necessário para o funcionamento da pele acaba promovendo o chamado efeito rebote: é produzido ainda mais sebo para suprir o que foi bloqueado por dermocosméticos.

O ideal é se consultar com o seu médico dermatologista e iniciar a rotina de cuidados que mais se encaixa às necessidades da sua pele.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.