Quem tem a pele oleosa muitas vezes fica em dúvida na hora de comprar produtos para a sua rotina de limpeza. Além de prestar atenção em alguns detalhes, como a textura, que não pode ser gordurosa, é importante ficar atenta aos ativos que compõem a fórmula do dermocosmético em questão. Você sabe quais são os ingredientes que fazem bem e aqueles que geram desequilíbrio ao rosto com tendência à oleosidade? O DermaClub conversou com a dermatologista Flávia Addor, de São Paulo, que esclareceu os fatos sobre o assunto.

Entenda um pouco mais sobre a pele oleosa

Antes de falar sobre os ativos, é importante entender como a pele oleosa funciona. De acordo com a médica, ela recebe esse nome por ter uma quantidade demasiada de sebo em sua superfície, devido à maior atividade das glândulas sebáceas. “Este tipo de pele predomina na face e também na área mediana - região do tórax e dorso - não ocorrendo nos braços e pernas, por haver uma menor concentração de glândulas nestes lugares”, disse.

Embora a oleosidade seja mais comum durante a adolescência, por conta da puberdade, o cenário pode se estender para a fase adulta. Outros motivos da pele oleosa são a predisposição genética e os gatilhos ambientais: “como os excessos de temperatura - muito frio ou calor-; poluição atmosférica; hormonais ou produtos cosméticos inadequados”, esclareceu a dermatologista.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

Conheça os principais ativos que beneficiam a limpeza da pele oleosa

São vários os ativos que ajudam a regularizar a oleosidade, desde aqueles usados em cosméticos, até as medicações potentes orais. A escolha vai depender do quadro de intensidade e extensão, além dos fatores associados. Confira os melhores ingredientes para a pele oleosa:

Ácido salicílico: agente químico que induz a renovação celular, regula a oleosidade da pele e possui ação anti-inflamatória. Tem a capacidade de permeação nos poros ajudando na remoção da camada queratinizada, sendo indicado para a desobstrução dos poros.

LHA: é um derivado do ácido salicílico. Possui ação queratolítica, que ajuda a impedir a formação de cravos, sem provocar irritação. É uma substância suave que pode ser usada em qualquer tipo de pele, sendo as oleosas mais beneficiadas.

Nicotinamida: é uma vitamina essencial do complexo B. Sua substância é capaz de reduzir o ressecamento e melhorar a textura da pele, além de ter ação anti-inflamatória. O ativo ajuda a evitar o surgimento de cravos e espinhas.

Zinco: o mineral é responsável dimunir a produção de sebo pelas glândulas sebáceas. A substância também ajuda a regular o excesso de brilho e, consequentemente, a formação de cravos e espinhas

Atenção aos ativos que provocam o efeito rebote

Segundo a dermatologista, o que acaba causando a produção demasiada de sebo na pele é a falta de limpeza e o efeito rebote. Um dos ativos que pode agravar esse cenário é o enxofre: “Um agente esfoliante e antisséptico que remove a oleosidade, mas que acaba causando ressecamento e irritação com frequência. Se usado excessivamente, pode levar ao efeito rebote, aumentando ainda mais o brilho quando suspenso.

Adote uma rotina de limpeza da pele oleosa regrada, use os produtos indicados e não deixe de consultar seu dermatologista regularmente.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.